terça-feira, 22 de fevereiro de 2022

COINCIDÊNCIA OU NÃO

Biroliro ainda nem havia deixado o Brasil quando Putin se disse disposto a negociar uma saída diplomática para o imbróglio na Ucrânia. Talvez tenham sido as emanações de amor e paz do Genocida que tenham entrado fundo no coraçãozinho do autocrata russo. Coincidência ou não, foi só o Bozo voltar ao Brasil para Putin invadir a região de Donbass e questionar o direito de existir da Ucrânia. O poder das vibrações positivas do Edaír só é menor que sua capacidade de passar vergonha. O Brasil, que já teve uma das melhores políticas externas do mundo, agora é pior do que pária internacional: é uma piada. Menos para o gado, que segue acreditando nos poderes milagrosos do Arruaceiro.

12 comentários:

  1. O Mio Babbino Caro
    Não é incrível se o futuro confirmar a homossexualidade desses dois...um deles nem precisará de tanto futuro assim.
    Perseveremos no bem até às eleições, havemos de suportar, essa Sim , uma anta, até o final de seu governo. Seu grande mérito foi o de nunca esconder seus 'valores'.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já vi uma russa dizendo que no ajto escalão do Kremlin tem muitos gays e que todo mundo sabe e que há realmente boatos do putin ser. Mas eu me afasto da ideia que todo homofóbico é um gay ou bissexual incubado, boa parte é mas não todos.

      Excluir
    2. @Igor: A galera tem uma visão da Rússia como uma Arabia Saudita dos gays, o que não é bem a realidade. Moscou e São Petersburgo são cidades cosmopolitas com um estilo de vida não tão diferente do de Londres e Paris - o que inclui sim, comunidades gays levando a vida deles. Portanto, sem surpresa que tenham gays em posições de poder, dentro da bolha desse eixo das duas cidades (que é bem equivalente ao eixo Rio-SP).

      O problema da questão gay é a mentalidade da classe média russa fora do eixo, mesmo em grandes centros como Yekaterinburg ou Rostov. Essa classe média fora do eixo viu a qualidade de vida despencar com o fim dos serviços públicos da URSS, voltou em massa para as igrejas ortodoxas e não "desfrutou" do desenvolvimento econômico da época de ouro dos BRICS, quase todo concentrado em Moscou. (Nota: diferente do discurso brasileiro de "os impostos de São Paulo sustentam o resto do Brasil", na Rússia a opinião geral é que os impostos das províncias são usados para sustentar a qualidade de vida serviços públicos de Moscou).

      Essa classe média russa fora do eixo ficou presa no mindset bem parecido com o do Brasil nos anos 80-90. "Homossexualidade é um tabu", "gays são tolerados somente se forem discretos" e não se fala sobre o assunto nas famílias. E enquanto a Europa Ocidental partiu para gay prides e normalização de uniões gays, na Rússia essa evolução ficou retida em Moscou e São Petersburgo. Pior do que isso, essa evolução foi vista por essa classe média provinciana como uma traição dos valores ortodoxos "russos de raiz" e mais um sinal da desconexão de realidade das metropoles eixo, demasiado "europeizadas". E é para essa classe é que o Putin e a Igreja Ortodoxa Russa focam todo o discurso homofóbico, ultra-nacionalista e anti-europeu.

      O exemplo russo é ótimo para colocar em perspectiva as evoluções da América Latina na temática gay. A gente se acostumou em focar nas 70504 batalhas que ainda enfrentamos, mas não muda que Argentina e Brasil aprovaram o casamento gay antes de Alemanha, Reino Unido. Suíça somente vai ter casamento gay agora em Julho de 2022. (!) Apesar de tudo, a mentalidade do brasileiro, do argentino, do mexicano médio evolui para caralho na nossa geração.

      Beijos (e sorry pelo grande post),
      Fer

      Excluir
    3. De acordo Fer, porém a Rússia não permite nem bandeira arco-íris. Conheço um gay da Modalvia e ele disse que a vida gay em Moscou é agitada porém discreta e que a nova geração é mais flexível. Mas a vida gay em Moscou é agitada não é de hoje, desde os tempos de Tchaikovsky tinha sauna (e ele frenquarava) rs.

      Excluir
    4. Resumindo:a Russia é o Brasil que toma
      vodca:cheio de reaças,tiozões do pavê
      e do churrasco em nome de Jesus que
      não querem ver seus filhos "queimando
      a rosca"-lá tem Malafaias aos montes.

      Excluir
    5. Putz, não entendi nada que esse Fernando falou... 😂😂😂

      Excluir
    6. Não! Brasil tem leis federais (vindas da corte) que a Rússia não tem, tem a maior parada do mundo, beijo lgbt na TV, políticos de todas as siglas assumidos, artistas, etc. Ainda falta muitos passos, mas a sociedade aos poucos tá aceitando melhor e estamos anos luz na frente da Rússia.

      Excluir
    7. Ok O futuro pode não estar tão distante...mas até lá aquelas imagens de gays apanhando em Praça Pública na celebração de Orgulho Gay continuarão. E é sempre bom lembrar que casamento Gay no Brasil foi decisão jurídica a depender das casas representativas do "povo" estaríamos amargando ainda os banheirões.
      G-

      Excluir
  2. Não acho que a homofobia da Rússia tenha a ver com o fato da classe média russa ter voltado para a Igreja Ortodoxa depois do fim da União Soviética, o regime socialista Soviético era ateu e também muito homofóbico, então não está relacionado com a religião, acredito que tenha mais a ver com o fato de serem uma sociedade autoritária, militarizada mesmo, que evoca a virilidade,o machismo, na visão deles, homossexuais são frágeis, sentimentais, não servem para uma sociedade desse tipo e claro todo líder autoritário quer abolir liberdades individuais, incluindo o fato de com quem você pode se unir e os gays precisam ser discretos, não podem contrair união civil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem a ver sim, Gabriel. A Igreja Ortodoxa é muito mais homofóbica que a Católica. E os regimes comunistas sempre reprimiram os homossexuais (vide Cuba e a China nos dias de hoje).

      A cultura russa de fato é militarizada e machista, mas a Igreja faz parte deste arcabouço.

      Excluir
    2. Não digo que não tenha a ver,já vi discursos homofóbicos do Papa Cirilo da Igreja Ortodoxa Russa, mas quis dizer que só isso não explica, se fosse só a Igreja Ortodoxa,a homofobia teria desaparecido no regime soviético, principalmente no stalinista,que foi o que mais perseguiu a Igreja Ortodoxa,inclusive demolindo a Catedral de Cristo Salvador,só reconstruída pelo Putin no ano 2000, mas ao contrário Stalin mandava tanto os padres cristãos ortodoxos quanto os homossexuais para os gulags

      Excluir