sábado, 15 de janeiro de 2022

TINTIN PARALELO

Como todo mundo, eu pulo os anúncios que o YouTube coloca antes dos vídeos que a gente quer assistir. Mas outro dia eu vi um até o fim, porque o Tintin apareceu logo nos primeiros segundos. Para meu dissabor, era um comercial do Brasil Paralelo, anunciando que a série em animação baseada nos álbuns de Hergé agora está disponível aos assinantes da plataforma. Até aí, beleza, mas o que me deixou bolado foi o texto da locução em off, que dizia que "o desenho do Tintin" (como se antes não houvesse uma HQ) havia sido "cancelado por criticar o comunismo soviético", e que por isto não passa mais em nenhum canal do mundo. Tudo balela, claro. O personagem foi criticadíssimo por causa de seu dois primeiros álbuns. "Tintin no País dos Sovietes", de 1929, é uma sátira tosca e desinformada sobre a então jovem União Soviética, e sumiu de circulação por mais de 50 anos. Só foi republicado na década de 1980, como uma relíquia de outra era. O álbum seguinte, "Tintin no Congo" (ou, na edição brasileira, "na África") é um libelo pró-colonialismo, que trata os negros como bichos e os bichos como alvos a serem derrubados. Também é o reflexo da época. Hergé era então muito jovem, e seus quadrinhos eram publicados por um jornal católico. Mas o autor amadureceu, e nas décadas seguintes Tintin se tornou um paladino antirracista e pró-democracia. Só que ao Brasil Paralelo interessa a narrativa de que Tintin vem sendo perseguido pelo politicamente correto, o que não é verdade - basta ver como o Museu Tintin, na Bélgica, vive lotado. O lado bom dessa história é que os filhos dos reacionários serão expostos a um herói que não tem superpoderes, está sempre aberto ao novo e viaja pelo mundo respeitando as culturas locais. O Brasil Paralelo não se tocou, mas Tintin é um cavalo de Troia.

3 comentários:

  1. Grande parte do que a gente consumia quando criança, naturalmente vai sendo revisto. Até no "Turma da Mônica-Laços" tem um momento em que ela fica realmente chateada de ser chamada de gorda e dentuça pejorativamente. Com atores humanos deu para perceber a dor da personagem e acho que essas ofensas tendem a desaparecer dos gibis, se é que já não foram. É só ler algum gibi ou ver alguma série antiga; Tio Patinhas, Os Três Patetas,etc.;pra ver que grande parte do conteúdo soa meio esquisito hoje.

    ResponderExcluir
  2. Por qual motivo o Brasil Paralelo incomoda tanto? é só uma plataforma como qualquer outra, assina quem quer, assiste quem quer

    nós tivemos o filme recente do Marighella onde fatos históricos foram omitidos e extremamente distorcidos, e isso não te incomodou nada, sua crítica do filme foi até positiva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Brasil Paralelo é uma plataforma pra gado
      ver.Alguns colunistas da Folha poderiam estar
      lá-não é o caso do Tony,que não é dessa laia.

      Excluir