quarta-feira, 26 de janeiro de 2022

TELEPHONE ARAB

"Perfeitos Desconhecidos" é uma das franquias de maior sucesso do cinema atual. Produzido na Itália, o primeiro filme saiu em 2016. A premissa é simples e um pouco absurda: durante um jantar, um grupo de casais amigos concorda em deixar na mesa todos os celulares. Qualquer ligação recebida será atendida pelo viva-voz, qualquer mensagem será lida em voz alta. Claro que todos os amantes decidem ligar naquela noite, e o quebra-pau é generalizado. Barato, com poucos cenários, o longa já foi refeito em diversos países. A versão espanhola está disponível na Netlifx há alguns anos. Agora a paltaforma escolheu "Perfeitos Desconhecidos" para ser seu primeiro filme original rodado em árabe. O elenco reúne a nata dos atores libaneses, inclusive a também diretora Nadine Labaki, e um casal de estrelas egípcias, que é para atrair audiência em todo o Oriente Médio. O curioso é que os personagens se comportam como se estivessem no Ocidente. Há pouco sabor local, tirando o idioma e o cardápio delicioso do jantar - que inclui até mouloukhia, uma espessa sopa egípcia, que minha finada professora de inglês, uma judia de Alexandria, me deu certa vez para provar. Os casais se cumprimentam com beijinhos no rosto, nenhuma mulher usa véu, todo mundo bebe vinho e uísque e não há nenhuma menção à religião ou aos costumes tradicionais. Entre as revelações há muitos casos extraconjugais e até a homossexualidade de um dos homens, Afinal, a ação se passa em Beirute, a mais ocidentalizada das capitais árabes. Por isto mesmo, "Perfeitos Desconhecidos" vem sendo atacado por conservadores, que o acusam de querer apenas a destruição da sociedade. Menas, né, gente? É só um filminho burguês para ser visto, digerido e esquecido, apesar dos bons diálogos e das boas atuações. Também serve como alerta: nunca deixe seu amante te ligar à noite.

(O título desse post é uma referência a uma música da banda árabe-alemã Dissidenten, do hit "Fata Morgana". Quem lembra?)

3 comentários:

  1. Como é bonita essa Nadine Labaki. Assisti no cinema "Cafarnaum", filme que ela dirigiu. Basicamente duas horas de uma criança se fodendo em Beirute. Na hora dos créditos o menino quase sorriu.

    ResponderExcluir
  2. E "Perfeitos Desconhecidos (a versão italiana)" por sua vez, é livremente """inspirado""" - ahan - no francês "Qual o Nome do Bebê (2012)" onde também um grupo de amigos se reúne a mesa e decide fazer uma dinâmica para descobrir o nome do bb, e dali acontece praticamente tudo do mesmo jeito que em Perfeitos Desc.

    ResponderExcluir
  3. Gostei de "nada a esconder" a versão francesa tb disponível na Netflix

    ResponderExcluir