domingo, 16 de janeiro de 2022

NÃO EXISTE RACISMO REVERSO

Todo movimento político tem seus radicais. Existem feministas que pregam a extinção dos homens e a persguição a mulheres trans. Entre os LGBTQIA+, há quem queira a abolição perpétua dos gêneros, e cadeia para quem não usar pronomes neutros. No movimento negro, tem quem seja contra namoros interraciais. Muitas vezes, esses exageros comprometem a imagem de todos os ativistas, que parecem muito mais agressivos do que de fato são. Mas os radicais também são a locomotiva que puxa o trem inteiro para a frente. Eles são necessários para que avanços concretos aconteçam, e não se fique apenas no ora-veja. Mas é sempre importante lembrar que são minoritários, apesar de barulhentos. Não é justo pegá-los como representativos do movimento como um todo. Só que é exatamente isto o que Antonio Risério faz em seu polêmico artigo publicado na Folha de hoje. Todos os exemplos que ele cita no texto são verdadeiros. Daí a extrapolar que existe racismo reverso, é de uma escancarada desonestidade intelectual. Risério esquece de dizer que a Nação do Islã ou casos pontuais de antissemitismo são reações a séculos e séculos de opressão. Esses extremistas são de fato execráveis, mas são tão poucos que nem de longe representam uma ameaça.  No entanto, eles servem à manjada tática da extrema direita de negar a existência de problemas reais e espernear contra problemas imaginários. Não existe o perigo de uma supremacia negra se impor entre nós, porque não existe racismo estrutural de negros contra brancos. Não existe racismo reverso.

43 comentários:

  1. A palavra racismo tem vários significados, juridicamente falando é qualquer forma de preconceito contra algum grupo minoritário socialmente ; dentro outros conceitos.
    O racismo contra o negro é histórico e faz parte da cultura e é estrutural. Há preconceito contra branco ? Há. Casos bem isolados e minoritário mas longe de ser opressivo. O problema é que muita gente não entende que a folha tem colunistas de diversas opiniões, desde o Narloch (idiota), Pondé (uma direita esclarecida que mal existe no Brasil) até Mônica Bergamo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Mônica fica plantando notinha a favor do
      Geraldo Ladrão de Merenda Alckmin pra vice
      do Lula-é pra isso que serve a Folha hoje
      em dia:apoiar a direita junto do Petê.

      Excluir
    2. Honestamente eu apoio a chapa Lula-Alckmin.

      Excluir
    3. Esse sabujo senhor faz todo esse alarido com seus fantasmas e não dá nem um pio para a farra abaixo na internet:
      https://g1.globo.com/fantastico/noticia/2022/01/16/grupos-neonazistas-crescem-270percent-no-brasil-em-3-anos-estudiosos-temem-que-presenca-online-transborde-para-ataques-violentos.ghtml?utm_source=push&utm_medium=app&utm_campaign=pushg1

      Excluir
  2. Mais um desserviço da folha

    ResponderExcluir
  3. É impressionante como a gente tem que explicar coisas óbvias.

    Acho que uma mudança perpassa por uma educação melhor. Italianos e alemães vieram para o BR para embranquecer o país. Se fosse só mão-de-obra, o Brasil não teria proibido e dificultado a entrada de asiáticos (indianos e chineses por exemplo) entre o fim do século XIX e o início do seguinte. A imigração japonesa ocorreu em parte por ter sido mais tarde e também pelo fato de locais como os EUA terem limitado a entrada nipônica. Claro que italianos e alemães contribuíram para a sociedade brasileira. Isso é inquestionável. Porém, é importante entender que sua mudança ao Brasil veio por conta de ideias eugênicas.

    Não vou nem entrar nas anedotas...como a naturalização de fotos só com gente branca no meu feed do Instagram. Não foi só na firma de Porto Alegre.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os imigrantes italianos/alemães vieram pra
      América fugindo das guerras que infernizavam
      a Europa no século 19.O Stédile,do MST e
      Cândido Portinari que o digam-descendentes
      de italianos.Nem todo descendente de alemão
      é igual ao dono da Havan.Cuidado com isso!

      Excluir
    2. Se o Johnny soubesse o que os descendentes
      de japoneses em sua maioria no Brasil são
      reaças-nem vou falar que,nos EUA no século
      19,os irlandeses eram chamados de "negros
      brancos" de tanto sofrerem preconceito e
      ódio racial por lá.O filme Gangues de
      Nova York mostrou isso.

      Excluir
    3. Sim, eles tinham motivos para sair da Europa.
      Mas o motivo para o Brasil aceitá-los foi duplo: 1) necessidade de mão-de-obra devido ao fim do tráfico negreiro em 1850 (a lei de 1831 não pegou) e o clima geral anti-tráfico e anti-escravidão, bem como em razão do próprio declínio da escravidão no Brasil (que culminou com a abolição em 1888, mas teve várias leis transicionais anteriores); e 2) necessidade de embranquecer o país.

      O número #2 é altamente documentado. Não preciso tomar cuidado. Em 1911, por exemplo, o diretor do Museu Nacional disse em Londres (os anais estão disponíveis em inglês para consulta) que o Brasil vinha admitindo europeus e através da miscigenação eliminaria os negros da sua população. Foi um eugenismo "soft" como afirma Jerry Dávila e como corrobora Barbara Weinstein (New York University), mas definitivamente um tipo de racismo (vide o trabalho da Lilia Schwarcz sobre o assunto).

      É importante que os brancos brasileiros tenham consciência disso, em especial os de ascendência alemã e italiana, que tendem a se achar muito especiais e, em alguns casos, "não ligados" a uma história escravagista brasileira.

      Excluir
    4. Em outras palavras: não questiono os motivos para as pessoas terem saído da Europa; apenas aponto para os motivos de o Brasil as ter aceito. Por que não houve migração chinesa para o Brasil (em massa) naquela época? Brasil baniu a entrada de chineses e demais pessoas vindas da Ásia. Tem decretos sobre isso, facilmente consultáveis.

      Excluir
    5. Obrigado, João!

      Criminoso este artigo. Para vcs gays brancos terem uma ideia, pensem num artigo que elenca aleatoriamente crimes cometidos por pessoas LGBTs (sem qualquer contextualização, se é que fosse necessária), ao longo da história, para arguir a existência de uma heterofobia nos dias que correm.

      Ah, e Tony!?! As relações interracias são discutidas hj, não por radicalismo, mas justamente pelo motivo que o João pontua acima, as ideias eugenistas que cravaram na mente de pessoas negras no mundo, e no Brasil em especial, a supremacia física branca, a título de exemplo, isto faz com que se nós tivéssemos um Barack Obama brasileiro, este provavelmente, não seria casado com uma Michelle, mas sim com uma mulher branca que nem precisaria pertencer ao grupo social dele, bastando ser branca. Não é, em hipótese alguma, um experimento eugênico de supremacia negra, mas uma tentativa de resgate de auto-estima e dignidade coletivo, em que nós negros não precisaríamos do crivo de pessoas brancas para nos sentirmos bonitos e socialmente bem-sucedidos, além de compartilharmos espaço de poder(sim, casamento é um espaço de poder, e não um conto de fadas resultado de alguém que perdeu o sapatinho de cristal, inclusive é por isso que os gays tanto queriam casar, correto?), é sobre não termos que desconstruir os gostos dos brancos: Não curto negros, não sou racista, é só meu gosto; mesmo este gosto sendo resultado de uma construção social, e neste caso, uma construção racista. Pois bem, em que pese alguns toscos se percam nesta discussão, e dêem munição ao inimigo, perdendo a essência da motivação dela que é fortalecer os negros quanto um povo, no final, essas escolhas SEMPRE são/serão subjetivas, e espera-se que todos os envolvidos sejam felizes para sempre, como em um conto de fadas!

      Excluir
    6. 22:52-O Obama se casou com uma negra porque os
      EUA são e sempre um país racista até os ossos.

      Mas como já esqueceram do Darcy Ribeiro-pra
      mim,o melhor governador que o RJ não teve-
      ele elogiava a miscigenação do nosso povo.

      Excluir
    7. Essa de eugenismo soft não existiu,o que
      existe é racismo soft.Tanto é que o Brasil
      tem metade da população negra ou misturada
      com ela.O mais bizarro é ver 2 judias brancas
      concordarem com isso.Elas nem sabem que
      metade da população do Brasil é preta.

      O Brasil só é parecido com a Amérika
      numa coisa:é um país formado por gente
      que veio do mundo inteiro.E parou por aí.

      Excluir
    8. É verdade que os irlandeses eram mal tratados, mas eles viraram brancos ao longo do tempo (nos EUA). O mesmo aconteceu com italianos, judeus etc. Diferentemente deles, os negros foram escravizados e tiveram seus direitos limitados mesmo com a abolição americana na década de 1860.

      Excluir
    9. Miscigenação não é o problema; o problema é o seu uso político e o consequente apagamento de debates públicos, inclusive sobre racismo. A eugenia do fim do XIX e do início do XX (que perdura até hoje de outras formas) deu espaço ao populismo de Vargas, que enalteceu a miscigenação para "unir" o povo brasileiro. Não tem nada de inocente a ideia de miscigenação. E ela não nos deu negros em todas as posições. Nos EUA há Black colleges como Howard e outras há muito tempo. Aqui negro nem entrava na faculdade em pleno século XX//XXI.

      Excluir
    10. Quem fala em "populismo de Vargas" é aquela
      mesma direita que,quis derrubá-lo,apoiou a
      "revolução" de 64 e o golpe contra Dilma.
      Como o Estadão,por exemplo.

      Pra Ku Klux Klan,negro,irlandês e judeu
      são farinha do mesmo saco.Só brancos
      servem-mas tem que ser crentes.Well...

      Excluir
    11. Joao está certissimo o Brasil nasceu do racismo a imigração europeia foi ideia de um embaixador françês a palavra nojo nem cabe, e as ideias eugenistas ainda existem talvez por isso não saibamos nunca quem mandou matar Marielle proibir os negros de entrarem nos locais de poder é regra da casa lembra da cidade de americana que ia rolar um doc do Meireles mas estranhamente não rolou fundada por sulistas americanos que queriam ir pra um lugar onde a escravidão ainda existia

      Excluir
    12. 01:34-Como dizia sabiamente o Tony naquele
      post,é falta de boleto pra pagar.Vão propor
      câmara de gás aos imigrantes daqui a pouco.

      Excluir
    13. Anônimo, não é opinião minha. É fato histórico. Imigração foi feita para embranquecer o Brasil. Se fosse apenas mão de obra, teriam deixado indianos e chineses entrarem. Pelo contrário: proibiram. Não estou desqualificando o imigrante; apenas sublinhando algo você deveria ter aprendido na escola. Mas não foi ensinado, porque é mais bonitinho e romântico pensar de outra forma.

      Excluir
    14. Vargas foi populista. Perseguiu a esquerda também. Teve ações de direita e de esquerda. Mandou Olga para os nazistas. Isso é ser de esquerda? Gente...é muita gente doutrinada por livro de história errôneo. Vejam fontes primárias. Jornais, decretos, filmes. Tudo isso corrobora o que eu falo sobre Vargas. Quanto à imigração, depois eu posto aqui as normas vedando a entrada de estrangeiros não europeus, OK?!

      Excluir
    15. Vargas foi um patriota e nacionalista.Coisa que
      o Mijair finge que é,mas é um mini-Lacerda,um
      entreguista a mando dos EUA.Getulio fez a
      Petrobrás e incentivava a cultura com Villa-
      Lobos,por exemplo.Quem é populista e é
      assumidamente nazista é Mijair e seu amigo
      capacho imperialista Paulo Guedes.

      Excluir
    16. Getúlio foi ótimo em muita coisa. Mas não foi santo.

      Excluir
    17. Acho engraçado a pessoa falar "esse eugenismo não existiu". Porra tem documentos e documentos que o comprovam.

      Excluir
    18. Já falou 240 vezes em eugenismo aqui,J.Tá
      parecendo aquele personagem do Marcelo
      Adnet que fazia um militante que falava
      em "Rede Globo","Rede Globo" o tempo todo.

      Excluir
    19. Até você entender, com "eugenismo" entrando com o talo e tudo nas suas cordas vocais, roçando na garganta, que essa merda existiu!

      Excluir
    20. João Olavo,não quero saber de olavismo de
      direita,nem de olavismo de esquerda,tá
      parecendo o Vaintraube.kkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  4. O Mio Babbino Caro
    ...Esse trouxa é um mau caráter que deitou pra santo errado e agora paga mico em jornal que desce a ladeira pagando mico. Vergonha alheia e munição para outros de sua laia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é:pior é ler textão de Facebook aqui no
      blog do Tony:um chute no saco,com certeza.

      Excluir
  5. Não existe racismo reverso e o texto é lamentável. Mas há um movimento crescente de hostilização de brancos por negros. Não é racismo e é uma resposta pelo racismo estrutural da branquitude. Nem por isso parte dessa hostilidade deixa de ser mau-gosto, idiotice, violência em alguns caso crime. E isso vem crescendo e tomando boa parte do movimento negro, não apenas os radicais. É necessário que os ataques de grupos aos negros seja identificado pelo que é. Não dá para um mulher negra falar que a pessoa é ruim só "porque só poderia ser judeu" e ser visto com naturalidade, como aconteceu recentemente no Twitter. Também não é aceitável que negros se juntem para humilhar adolescente que escutam RAP ou tenta dançar break só por não ser negro, ou ainda policiar as relações interraciais como se fosse uma traição à raça... Apesar do teor, nada disso ser racismo, mas é intolerante, odioso e errado. Deve coibido e exposto para que não se repita. Além de tudo, isso é um tiro no pé para o movimento negro. Grande parte da reparação histórica do racismo se dá no campo econômico. Se os brancos começarem a ouvir certa parte do movimento negro, vão ter que parar de consumir o que vem da cultura negra? A luta antirracista só vai ter resultados sustentáveis com parte dela sendo feita por brancos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagina, um negro tratar mal alguém só porque ele é branco não é racismo é uma resposta ao racismo estrutural!! Não tem essa de racismo reverso. Isso é só racismo. Tinha aquela revista que se chamava "Raça" e era obrigatoriamente composta por negros. Isso é o quê? Se for representatividade, seria permitida a existência de uma revista feita só com brancos e que se chame "White Power", sei lá. Nos foderam quando eu não tinha voz, agora que eu começo a ter poder é a minha vez de te foder, só que agora é uma resposta. "Quando a educação não é libertadora, o sonho do oprimido é se tornar opressor " Paulo Freire.

      Excluir
    2. Vc deu ao seu texto o mesmo teor do texto que vc julgou lamentável, ó, querido antirracista. PQP!!! 😂😂😂

      O que vc entende como luta antirracista? Ouvir Beyonce?

      Primeiro, tudo aquilo que negro praticar e for tipificado no código penal, deve ser enquadrado como tal, crime. No mais, as relações sociais se darão em um lugar complexo e cheias de nuances. Mas vc que é antirracista, progressista e virtuoso, já definiu como: intolerante, odioso e errado.

      Saia desse protagonismo, não entenda a assunção de sua raízes e a busca pelo empoderamento (o econômico é de fato imprescindível) como hostilidade, apenas não é sobre você, e talvez vc não seja peça tão fundamental como se julga, é sobre os indivíduos negros!

      Excluir
    3. "Deve coibido e exposto para que não se repita." ??? Tá louco? A não ser que vc esteja se referindo a um crime, vc não pode praticar isso contra ninguém, simplesmente por não concordar com uma pessoa! E neste caso, isto é o mais puro suco de racismo!

      Entenda, negros são livres, imperfeitos e humanos; só a lei pode cerceá-los, nada mais!

      Excluir
  6. O 17:23 é o primeiro reaça que eu vejo citar Paulo Freire.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tony,quem não entendeu teu texto é a mesma
      laia que curte merdas como o BBB.Beijos e
      boa semana!!!

      Excluir
    2. Hahahaha na real a direita brasileira repete muita coisa que Gramsci falava...sem nem saber kkkk

      Excluir
  7. de fato não existe racismo reverso, existe racismo, se um afrodescendente discrimina um chinês ele é racista igual a um caucasiano que discrimina um indiano
    racismo é um termo neutro, não é exclusivo dos afrodescendentes
    essa percepção de apenas negros e brancos sendo considerados como as únicas etnias existentes é uma ideia por si só racista
    e também, "desonestidade intelectual" não existe, desonestidade é uma qualificação, uma pessoa que teoricamente estudou e distorce o conhecimento em favor de um discurso não é um "desonesto intelectual" e sim um apenas desonesto
    outro ponto, o da supremacia negra, já existe e já está entre nós

    você não ganha pontos anti racista se fala que negros não podem discriminar racialmente alguém, você apenas finge parecer um aliado da causa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que não houve 5.000.000 de asiáticos, europeus, indianos, etc, traficados para o Brasil, bebê.

      Excluir
    2. João essas "tábuas" não são capazes de alcançar essas informações.
      G-

      Excluir
    3. João, ainda não existe um termo exclusivo na língua pra racismo contra negros
      racismo continua sendo um termo neutro pra discriminação racial
      pareço estar falando com Minion Cloroquiner, mas é só um esquerdinha identitário (que ninguém mais suporta)

      Excluir
    4. ""desonestidade intelectual" não existe, desonestidade é uma qualificação, uma pessoa que teoricamente estudou e distorce o conhecimento em favor de um discurso não é um "desonesto intelectual" e sim um apenas desonesto
      outro ponto, o da supremacia negra, já existe e já está entre nós."

      😂😂😂😂😂😂 seria cômico se não fosse estúpido e ridículo. Professor Pasquale, adjetivos não acompanham substantivos?

      Ok. Então vamos lá. Vc é desonesto!!! Um viado desonesto!!!
      Viado te faz um identitário? De esquerda? De direita? Escolhe ae!

      Excluir
    5. Ah, e a supremacia gay já está entre nós!!! Sigamos.

      Excluir
    6. O Joãozinho quer importar pra cá o racialismo
      de fora-mal sabe ele que,aqui temos terreiros
      de umbanda.Mas ele nem sabe o que é umbanda.
      kkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  8. a síndrome de Princesa Isabel dos colunistes da Foia kkkkkkk

    ResponderExcluir