sábado, 15 de janeiro de 2022

FIRE BURN AND CAULDRON BUBBLE

Já tinha visto versões de "Macbeth" no teatro e no cinema, mas nenhuma me pegou tanto quanto "A Tragédia de Macbeth". O primeiro filme de Joel Coen sem seu irmão Ethan chegou ontem à Apple TV +, e é nada menos que um arraso. Rodado em estúdio num glorioso preto-e-branco, com pouquíssimas locações externas, a nova encarnação da "peça escocesa" consegue ser fiel ao texto de William Shakespeare e, ao mesmo tempo, absolutamente contemporânea, tanto no tratamento como na mensagem. É extremamente artificial - às vezes lembra teatro filmado - e também orgânica, como se estivéssemos vendo personagens de carne e osso e não atores. E que atores. Denzel Washington está a caminho de sua 9a. indicação ao Oscar, e Frances McDormand só não está no páreo proque levou seu terceiro prêmio da Academia no ano passado. Mas o destaque vai para a britânica Kathryn Hunter, que compõe as três bruxas (ou seria uma só?) de maneira assustadora. As cenas de luta são tão viscerais que nem parecem coreografadas, e a sequência do espírito que surge na água me arrepiou os cabelos. Joel Coen fez todas as escolhas certas, da música à direção de arte, e o resultado está aí: uma obra de arte, para ser vista e revista.

3 comentários: