quinta-feira, 27 de janeiro de 2022

BOSTA DE IAQUE

Em 2007, depois de uma saraivada de críticas, a Academia de Hollywood mudou o sistema de seleção dos indicados ao Oscar de filme internacional. Os velhinhos que faziam essa escolha deixavam passar batidos títulos importantes, dando preferência a draminhas rurais com criancinhas fofinhas. A Academia então criou a lista de nove semifinalistas, com os seis filmes favoritos dos velhinhos e três filmes apontados por um comitê especial. Deu certo. Só que, a partir de 2020, o shortlist inflou para 10 pré-selecionados, e o comitê foi extinto. Resultado: bobagens comoventes como "A Felicidade das Pequenas Coisas" agora entram para a lista. O filme vem do remoto reino do Butão, encravado no Himalaia entre a Índia e a China. E faz parte da campanha de marketing que aquele país já faz há alguns anos, em que se declara o campeão mundial da "felicidade nacional bruta". O roteiro é óbvio. Um jovem professor quer largar tudo e virar cantor na Austrália. Mas, enquanto seu visto não sai, o governo o despacha para a aldeia de Lunana, a oito dias de viagem da capital. O lugar não tem internet, e a eletricidade só rola quando bate o sol. O aquecimento é feito à base de bosta de iaque. Mesmo assim, o rapaz se encanta com o lugar e começa a rever seus planos. Pena que o filme mostre muito pouco da aldeia em si. O pai de uma das alunas é alcoólatra, e fica por isto mesmo. Não vemos nenhum outro prédio além da escola. As paisagens são bonitas, mas, como disse meu marido, "parecem Teresópolis". Eu fiz questão de ver para ticar mais um país no meu mapa-mundi cinematográfico. Mas agora temo que essa tolice chegue entre os cinco indicados ao Oscar de melhor filme internacional.

6 comentários:

  1. Sem piadinhas de duplo sentido com o Butão!

    ResponderExcluir
  2. O Mio Babbino Caro
    Tony, um homem e sua Paixão!
    (Ter Paixão é ter Coragem)

    ResponderExcluir
  3. Comecei lendo um post sobre um filme estrangeiro e quando vi estava pesquisando sobre o Butão, sobre o seu jovem rei, sua jovem democracia, seus costumes, tradições e história. Que paisagens lindas! Quanto colorido! E já é mais um país que eu quero (e que provavelmente nunca conseguirei) conhecer.

    Importante: em 10 de dezembro de 2020 em uma sessão conjunta das duas casas do parlamento, o Butão aprovou, por 63 votos a favor e 6 ausências, um projeto de lei para descriminalizar a homossexualidade. Assim, o pequeno reino do Himalaia tornou-se a última nação asiática a tomar medidas para diminuir as restrições às relações entre pessoas do mesmo sexo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 18:46 Nossa! Que bom que o Butão fez em 2020 algo que o Brasil fez lá em 1830...

      Excluir
  4. Nepal e Butão possuem relações complicadas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É. O Butão tem medo de ser arregaçado pelo Nepal.

      Excluir