quinta-feira, 20 de janeiro de 2022

A VOZ DO MILÊNIO

Elza Soares teve uma vida difícilima. Perdeu filhos, perdeu seu grande amor, perdeu muito dinheiro. Passou anos esquecida, mas ressuscitou algumas vezes. Uma delas foi em 1984, quando Caetano Veloso a chamou para gravar "Língua" com ele. Depois ela entrou em baixa novamente, mas reconquistou os holofotes no começo deste século, quando lançou o álbum "Do Cóccix até o Pescoço". Desde então, não parou mais, até esta quinta-feira. Sinto-me consolado por Elza ter sido exaltada ainda em vida. Seus últimos discos foram inovadores e contundentes, revelando uma mulher inquieta, Sempre em busca do novo, sempre ligada ao passado, sempre lutando contra o racismo e a desigualdade. Tive a sorte de conhecê-la rapidamente durante o lançamento de "Elza", a biografia escrita por Zeca Camargo. Um ano depois, a vi no palco pela única vez, na gravação de um especial da Record. Elza Soares era o resumo da mulher negra brasileira. Um talento sublime, uma biografia inacreditável. Ainda teve a felicidade de morrer em casa, tranquilamente, aos 91 anos. E o Brasil teve a sorte de produzir este fenômeno, e a decência de reconhecê-lo a tempo.

19 comentários:

  1. Seu texto é uma bela homenagem

    ResponderExcluir
  2. A voz dom milênio é Ella Fitzgerald,Billie
    Holiday e Dusty Springfield-nem vou citar
    outras por aqui.Elza é a voz do Brasil.

    ResponderExcluir
  3. Tem várias vozes do milênio como Ella Fitzgerald,
    Billie Holiday e Dusty Springfield-se o Tony puder,
    tire meu texto com erro de gramática aos 22:22.Att.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema do seu comentário não é a gramática. Comparar Elza a Ella Fitzgerald ou Billie Holiday, vá lá. Mas com Dusty Springfield??

      Excluir
    2. 😂😂😂 Esse Tony...

      Me sinto tão culpado, gosto da Elza como figura pública, quase uma Madonna negra sem planejamento de carreira, mas justamente a voz dela é o que mais me incomoda, ela e a Gal não me emocionam.

      P.S. Sou louco pela Bethânia, alucinado!

      Excluir
    3. São sobre as vozes femininas que marcaram a
      música,Tony.Sejam elas negras,ou não.

      Excluir
    4. Acontece que Dusty Springfield está a alguns anos-luz da importância das demais citadas. Foi uma boa cantora, com muito sucesso nos anos 60 e um repique nos 80 graças aos Pet Shop Boys. Mas não tinha a extensão vocal, nem o repertório, nem a contundência política de Elza, Ella ou Billie.

      Excluir
    5. Ih,então a Elza teve um repique igual a Dusty-
      no caso,com o Caetano Veloso.

      Excluir
    6. O verdadeiro repique de Elza aconteceu em 2002, com o lançamento de "Do Cóccix Até o Pescoço". A partir deste álbum ela mudou de estatura na MPB, e ainda fez uma série de discos históricos.

      Dusty morreu em 1999...

      Excluir
  4. O Mio Babbino Caro
    Era tão necessária por tudo que representava.

    ResponderExcluir
  5. porque o Trump não morre? Aecio? Imbassahy? Cunha? esses lixo em geral, pqp!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olavo de Carvalho tá internado com covid,deve estar por morrer tbm,ainda mais que ele não deve ter se vacinado, é um militante contra a vacina.

      Excluir
    2. E hoje morreu a mãe do genocida,mas não sei se devo me alegrar com isso,o genocida já era maior de idade,casado ,com filhos quando começou com a sua loucura,primeiro querendo explodir os quartéis por causa do aumento de salário e depois as rachadinha,envolvimento com milícias,a dona Olinda não deve ter culpa disso.

      Excluir
  6. A grande coincidência foi ela morrer no mesmo dia que o grande amor da sua vida,o craque Mané Garrincha,exatamente 39 anos depois.

    ResponderExcluir
  7. queria ler a biografia da elza, mas com o zeca camargo( sindrome de proust) desanimei, só se vale apena se teve alguém que ajudou ele a sintetizar o livro, pq ele vai fazer uma critica de um disco ele escreve 10 paginas, conta em detalhes um monte de coisas que para o disco pouco importa.É um gostoso, eu pegava, mas ler as coisas que ele escreve, nao obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele gostava muito da Elza,e daí??????

      Vou elogiar o Mijair desta vez:hoje,as 6
      da tarde,vai ter um programa especial sobre
      Elza nas rádios da EBC-Rádio Nacional AM
      RJ e Rádio Nacional AM Brasilia.

      E A GLOBO:NADICA DE NADA.

      Excluir
    2. Recomendo a biografia do Garrincha escrita pelo Ruy Castro,é maravilhosa,a Elza por motivos óbvios é bem citada,não só da convivência com o Mané,o grande amor que viveram,o enorme apetite sexual de ambos,mas tbm das barras que teve de suportar ao lado dele,chegou a ser agredida por um Garrincha alcoolizado e por isso eles se separaram,a vida anterior da cantora também é mencionada,a violência que sofreu do primeiro marido,os filhos que ela perdeu,o pai que morreu de infarto ouvindo um jogo do Flamengo no rádio enquanto ela viajava para a Argentina em uma turnê,é um livro excelente.

      Excluir
  8. Internada por sequelas da Covid, Elizangela já comparou vacinação obrigatória a estupro


    http://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2022/01/21/atriz-elizangela-e-internada-em-estado-grave-com-covid-diz-prefeitura-de-guapimirim.ghtml

    ResponderExcluir
  9. Aiai que mulher! O ano começa bem não é mesmo? Gaspard Elza acho que vazo ruim não quebra

    ResponderExcluir