domingo, 19 de dezembro de 2021

PELO DIREITO DE CONTAMINAR OS OUTROS

Uma vantagem indiscutível do Brasil sobre a Europa e os Estados Unidos é que por aqui o movimento antivaxx não pegou. Brasileiro acredita em vacina, graças a décadas de campanhas institucionais e a um sistema de vacinação capilar e eficiente. Mas a corja que comanda esse desgoverno defende como liberdade suprema o direito de ficar doente e contaminar os outros. Edaír sabe que vai ser acusado pelos adversários de ter retardado a compra dos imunizantes, então faz questão de sempre dizer que eles não funcionam, ainda são experimentais e podem até transmitir AIDS. Também recorreu a uma tática digna do Danilo Gentili, ao convocar seu gado a perseguir os diretores da Anvisa que aprovaram a vacinação contra covid-19 para crianças. O resultado é que os caras estão até recebendo ameaças de morte e pedindo socorro à polícia. Enquanto isso, sicofantas como Mário Frias se enchem de melindres. O suposto Secretário da Cultura reclamou no Twitter que sua mulher e sua filha foram "expulsas" (ou seja, não puderam fazer check-in) em um hotel no Rio de Janeiro. Melhor elas procuraram a casa de algum amigo ou parente, porque nenhum hotel da cidade irá aceitá-las: é uma norma municipal. Estou muito curioso para ver o que acontecerá com Frias, Sérgio Camargo, Abraham Weintraub e o resto da cambada que vai concorrer a deputado federal no ano que vem, para não perder a mamata. Antes mesmo das eleições, talvez aconteça com eles o que se passou com o parlamentar americano Doug Ericksen, que também era contra o passaporte vacinal.

8 comentários:

  1. Adoro ver a lombriga amarela dando ataque de pelanca! Ele é tão medíocre que seus chiliques são patéticos. Tomara que não seja eleito

    ResponderExcluir
  2. Como se não existisse vacinação obrigatória pra crianças.

    ResponderExcluir
  3. A desconfiança reacionária nas vacinas é uma coisa, a fé reacionária na medicina é outra. Sua fé acrítica na indústria médica é deslocada e mal informada, dada a extensa história de abusos que esse campo perpetrou contra pessoas vulneráveis ​​e sofredoras: o estudo da sífilis tuskegee, a origem da ginecologia americana, a patologização de pessoas que são gays e transexuais, etc. Atualmente, o DSM ainda patologiza o ser feminino ('transtorno de personalidade histriônica') e as perversões sexuais ('transtorno fetichista'), além de sua abordagem geralmente repugnante da neuro-divergência e da saúde mental.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem falou que a medicina é perfeita? Quem falou que as vacinas são perfeitas? Nenhuma é, mas qualquer uma é infinitamente melhor do que não se vacinar. Vai pastar lá longe, bezerrinho minion.

      Excluir
    2. Ah, e não perca tempo em responder. Tô sem a menor paciência para gente escrota. Nesse blog mando eu.

      Excluir
    3. Vc pode ter desconfiança nas vacinas e ainda assim vacinar. Não entendi a dicotomia. Também jamais assuma que uma pessoa não tem uma patologia mental. Eu tenho. E odeio quando assumem que eu não tenho. Call out culture é um inferno para quem tem TOC.

      Excluir
  4. Olha, eu até entendo o receio que se tinha quando as vacinas (feitas as pressas, ou usando eufemismo, feitas em tempo recorde) ficaram disponíveis.
    Eu mesmo não saí correndo como um desesperado quando elas ficaram disponíveis...
    Porém, agora que centenas e centenas de milhões de pessoas já tomaram a vacina e não tiveram nenhum efeito colateral grave, não existe motivo lógico para evitar de tomá-las. Insistir em não tomar a vacina agora, não é mais precaução, é só burrice mesmo.

    ResponderExcluir
  5. Claro,o Carluxo fez a sua cabeça e de muita
    gente dizendo que a vacina deixaria você com
    Aids e que os banqueiros judeus como o
    George Soros inventaram o vírus pra dominar
    o mundo.Faz parrte,como diz Kleber Bambam.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir