sexta-feira, 3 de dezembro de 2021

O JOGO DA SOFRÊNCIA

Mais um ano em que o Brasil vai passar batido pelo Oscar. Não que "Deserto Particular" seja um filme ruim; não é. É bem feitinho, com bons atores e uma história envolvente. Só que essa história não é nova. Já foi contada, e melhor, por... pare por aqui se não quiser spoiler. Não parou, né? Então toma: por "The Crying Game", no distante ano de 1992. O filme de Neil Jordan era um sobre um sujeito que se apaixonava sem saber que ela tinha piu-piu, e o mesmo acontece no longa de Aly Muritiba. O protagonista brasileiro é um policial de Curitiba que atravessa o país para procurar em Sobradinho, na Bahia, a amada que conheceu na internet. Na primeira foto que aparece dela, a plateia já saca que se trata de um homem. Antes que me apedrejem: não se trata de uma mulher trans, mas de um rapaz que se monta para sair à noite. Ele esqueceu de revelar o detalhe para seu admirador, e claro que ele reage mal quando descobre tudo. Mas aí, como em "The Crying Game", ele é traído pelo desejo e vencido pelo amor, num desfecho quase feliz. Por que não um desfecho totalmente feliz, já que o tira deu vazão à sua viadagem reprimida? Enfim, os sites especializados dizem que "Deserto Particular" até que tem alguma chance no Oscar. Tem filmes muito mais fortes no páreo, alguns que vão entrar para a história do cinema. Nosso representante não vai ficar nem entre os 15 semifinalistas, tadinho.

Um comentário: