terça-feira, 21 de dezembro de 2021

DESERTO COLETIVO

Todo ano é a mesma coisa. Eu sempre tenho a esperança de que o candidato brasileiro aparecerá pelo menos no shortlist dos 15 semifinalistas ao Oscar de melhor filme internacional. O deste ano, "Deserto Particular", até que vinha sendo citado pelos sites especializados. Além do mais, a lista sempre traz algumas surpresas, com favoritos sendo esnobados e outros menos cotados arrombando a festa. Essa lista saiu hoje, e as surpresas estão lá: "Lunana, um Iaque na Sala de Aula", do Butão, e "Plaza Catedral", do Panamá, entraram. Dois longas que voaram abaixo do radar de todo mundo, vindos de dois países sem a menor tradição em cinema. Enquanto isto, o genial "Titane" (França) passou batido, mas pesos-pesados como "A Mão de Deus" (Itália), "Drive My Car" (Japão) e "Um Herói" (Irã) foram devidamente incluídos. "Deserto Particular" não está mesmo à altura desses títulos, e só o fato de ter sido escolhido pelo Brasil já é uma vitória para o filme de Aly Muritiba. Este foi mesmo um ano triste para o cinema nacional, sem grandes lançamentos nem prêmios importantes em festivais estrangeiros. Mas não entramos na shortlist do Oscar desde 2007, e nossa última indicação foi no século passado, com "Central do Brasil". Aos olhos da Academia, viramos um deserto cinematográfico.

Em tempo: estou radiante pelo meu amado Sparks ter entrado na lista dos 15 semifinalistas de melhor canção, ao lado de superstars como Beyoncé e Billie Eilish. Que venha a indicação!

ATUALIZAÇÃO: Opa, opa, opa, comi bola, pra variar. O Brasil entrou SIM numa shortlist do Oscar: a de melhor curta-metragem de ficção. O agraciado é "Seiva Bruta", de Gustavo Milan. Vaaaai Braaaasil!!!

8 comentários:

  1. E outras indicações envolvendo brasileiros? Cidade de Deus, animações etc...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sei. Eu sei. "Cidade de Deus" teve quatro indicações. "O Menino e o Mundo" foi indicado a melhor longa em animação. "Democracia em Vertigem", a melhor documentário. Até meio que ganhamos um Oscar: o de canção, para o filme "Diários de Motocicleta" do Walter Salles. Mas "El Outro lado Del Río" era cantada em espanhol, pelo uruguaio Jorge Drexler...

      Excluir
  2. Jorge Drexler é o cara mais chato do mundo, trilha sonora de Faria Limers.

    ResponderExcluir
  3. Eu ainda não me conformo que Aquarius não foi sequer o nomeado do Brasil para representar o país no Oscar. Pra mim merecia muito a indicação

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aquele foi o último ano em que o governo federal pôde interferir na escolha do filme que representaria o Brasil no Oscar. Desde então, essa tarefa cabe exclusivamente à Academia Brasileira de Cinema, que não é um órgão estatal.

      Excluir
    2. Não consigo nem imaginar a lambança que seria Bozo e sua corja interferindo na escolha do filme representante do Brasil.

      Excluir
  4. Tony cidade de Deus não foi indicada a filme estrangeiro? Estou certo...??

    ResponderExcluir