quarta-feira, 29 de dezembro de 2021

NÃO ROBÔ MEU CORAÇÃO

"Comédia alemã" é uma contradição em termos. Nunca vi um filme alemão que fosse realmente engraçado. Talvez seja a culpa coletiva pelo Holocausto, talvez seja apenas uma característica cultural. A mais recente confirmação à minha tese é "O Homem Ideal", que está entre os 15 semifinalistas ao Oscar de filme internacional. Vá lá, trata-se de uma comédia dramática, mas nem o drama vai muito fundo. O que predomina é uma certa frieza, digna das locações em Hamburgo. A protagonista é uma quarentona não exatamente bonita, que perdeu um bebê e o namorado - e nova namorada dele está grávida. Sem muitas opções, ela topa testar por três semanas um robô programado para agradá-la em tudo. O androide é vivido pelo inglês Dan Stevens, de "Downton Abbey", que fala um alemão perfeito. Até que rolam algumas piadas, mas poderia haver muita mais, e a crise existencial da mulher não chega muito longe. Alemanha, algum dia conseguirás me fazer rir?

3 comentários:

  1. Hj estava afim de ver homens gatos alemães peguei um austríaco que puta que pariu!

    ResponderExcluir
  2. Aquela estranha sensação que alguém está querendo te controlar! É o que eu sempre senti sobre a tecnologia atual ao invés de melhorarem nossas vidas os computadores nos transformaram num exército estupido de seres alienados, afastaram pessoas e possibilidades. O capitalismo da vigilância é um saco! Filme com robô tô fora!

    ResponderExcluir
  3. Eles transam no chuveiro? Todo filme alemão que vi até hoje que tinha uma transa, ela era no chuveiro.

    ResponderExcluir