segunda-feira, 29 de novembro de 2021

SCREWBALL À LA FRANÇAISE

"Screwball comedy" é uma expressão que caiu em desuso, mas quem costuma ir ao cinema sabe o que é: comédias românticas com uma mocinha espevitada, diálogos rápidos e acontecimentos improváveis que se sucedem em velocidade alucinante. Este subgênero teve seu auge nos anos 1930 e 40, mas sobrevive até hoje. Um exemplo recente é "Adeus, Idiotas", em cartaz no Festival Varilux do Cinema Francês. Uma mulher com pouco tempo de vida resolve descobrir o paradeiro do filho que ela teve na adolescência e precisou dar para adoção. Ela cruza de maneira absurda com um funcionário público suicida, e mais tarde um cego se junta à dupla. Muita correria, muitos acidentes, muita perseguição pela política e algumas das cenas mais engraçadas que vi este ano. "Adeus, Idiotas" recebeu indicações em 13 categorias do César, e ganhou 6 troféus - inclusive melhor filme, melhor diretor e melhor ator coadjuvante. O ritmo frenético ralenta no terço final, e o desfecho certamente irá dividir opiniões. Mas fazia tempo que um longa me fazia perder o fôlego.

9 comentários:

  1. Essa Pequena é Uma Parada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato! Foi a primeira coisa que pensei. What´s up Doc. A melhor screwball, com a melhor “Funny Girl”. ;)
      Obrigado pela dica Tony. Com certeza assitirei.

      Excluir
  2. O Mio Babbino Caro
    ...
    Verdade que não vamos ter resenha da
    "Casa GUCCI".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como assim? Já temos. Dois posts abaixo.

      Excluir
    2. Sim, sim, logo em seguida vi...e achei irretocável seu post.
      Achei o filme um soco no estômago. O próprio Belas Artes é um gatilho...

      Excluir
  3. Fiquei interessado. Será que algum dia sai na Netflix?

    ResponderExcluir
  4. Adorei também. Virginie Efira é a maior da França hoje.

    ResponderExcluir