segunda-feira, 11 de outubro de 2021

TERRIVELMENTE ENROLADO

Como sói acontecer, Edaír Biroliro criou uma armadilha para si mesmo. Ao prometer que nomearia alguém "terrivelmente evangélico" ao STF, ele amarrou seu destino ao de André Mendonça, que corre o sério risco de ser rejeitado pelo Senado. E deu a figuras sinistras como Malafaia o poder de veto a qualquer nome que venha a substituir o atual AGU, numa demonstração de fraqueza explícita. Onde já se viu pastor ditando quem o presidente pode indicar ao Supremo? Só no Brasil, é claro.

5 comentários:

  1. #FORABOLSONARO
    #CARLUXOÉVIADO

    ResponderExcluir
  2. O Mio Babbino Caro
    Malafaia não é Pastor ele é.......... (Completem)

    ResponderExcluir
  3. Quando antes na história do Brasil houve um governo que era mais prejudicado por si mesmo do que pela oposição? De qualquer maneira, torço pela briga

    ResponderExcluir
  4. O primeiro e único ministro do STF que não era sequer bacharel em Direito também foi o um dos 5 rejeitados pelo Senado: o médico Cândido Barata Ribeiro (sim, o mesmo que batizou a rua de Copacabana). Ele e os demais 4 rejeitados foram todos indicados pelo instável e incipiente governo do Floriano Peixoto (como se algo na República Velha fosse lá digno de confiança).
    Até hoje não é requisito ser formado em Direito pra ser ministro do STF, mas na época do Cockroach River, ele chegou a exercer o cargo por quase um ano antes de ser recusado. Hoje em dia o indicado fica cozinhando em banho maria enquanto faz o beija-pés pré-sabatina. Mas permanece o requisito da idade mínima de 35 anos porque qualquer um deles pode ter que exercer a presidência da república sem planejar muito a coisa (a contrário dos deputados e senadores com idade menor a 35 que só ficam impedidos de presidirem as suas casas pelo mesmo motivo).

    ResponderExcluir