terça-feira, 12 de outubro de 2021

QUERO FICAR NO SEU CORPO FEITO TATUAGEM

O mundo das artes plásticas é repleto de figuras bizarras e picaretas em geral. Não causaria espanto se a premissa de "O Homem que Vendeu Sua Pele" acontecesse na vida real. Um sujeito desesperado por dinheiro - no caso, um refugiado sírio, louco para reencontrar sua amada na Europa - aceita que um artista badalado tatue um visto para o Espaço Shengen em suas costas. Ele recebe um dinheirão por isto, e receberá mais cada vez que a obra mudar de dono. Em contrapartida, terá que ser exibido em museus e leilões como um objeto, e, quando morrer, sua peciosa pele pertencerá a seu último proprietário. A justificativa é perfeita: mercadorias circulam entre países com muito mais facilidade do que seres humanos. Mas o protagonista logo começa a se incomodar, incitado por um movimento de exilados que o acusa de desrespeitar a causa, e também pelo fracasso em se aproximar da ex-namorada, agora casada com outro. As coisas caminham até um desfecho cruel e plausível, que mostra que o mal está por toda parte. Mas, logo em seguida, o roteiro da diretora tunisiana Kaouther Ben Hania engata uma marcha à ré que desrespeita o cinismo de um dos personagens principais e livra a cara do capitalismo. "O Homem que Vendeu Sua Pele" é um filme interessante, que discute o papel da arte nos dias de hoje. Esteve entre os cinco indicados ao último Oscar de longa internacional, mas havia outros títulos no páreo que mereciam mais.

6 comentários:

  1. O Mio Babbino Caro
    A excelência do Tony foi arranhada rsss dois erros de tipo em seu texto como sempre impecáveis. Descubra os erros.

    ResponderExcluir
  2. Com o ‘pé de galinha’ em alta e a inflação e crise energética no mundo inteiro que estão diretamente ligadas às privatizações neoliberais dos anos 80 não tenho dúvidas o capitalismo já morreu! O golpe contra Dilma é um tema muito mais interessante foi o que gerou essa crueldade de fome e comida cara que vemos hoje, teve as jornadas de junho que nada mais foram protestos pagos pra enganar trouxa, assassinato de juiz do supremo, deputado balangando saco de cocaina no congresso no dia do golpe, um país inteiro com telefone grampeado e 34 TRILHÕES em petróleo sendo vendidos a preço de banana. Foi um show de horrores cuja consequência sentiremos para sempre e só tem aquele filme propaganda nazista a lei é para todos, realmente o povo é trouxa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa!!! Esse roteiro é de qual filme ? Meio inverossímil, né?
      Terror psicológico?
      Comédia de humor negro?

      Excluir

    2. 19:12
      No Brasil tudo parece roteiro de Comédia de humor negro ou Terror psicológico.
      G-

      Excluir
  3. "Livra a cara do capitalismo".
    Se você não gosta do capitalismo, mude para a floresta.

    ResponderExcluir
  4. O capitalismo não manda pessoas para gulags, instala governos que levam à fome/morte em massa.
    Seja sensato.
    Com o capitalismo, você obtém filmes de baixa qualidade e videogames caros.
    A "verdadeira ameaça" é o socialismo/comunismo que, só no século 20, levou a 100 milhões de mortos.
    Mao, Stalin, Pol Pot, o norte-coreano Kim, etc.

    ResponderExcluir