quinta-feira, 21 de outubro de 2021

O TETO FUROU

Foi a direita quem inventou o teto de gastos. Quis o destino que fosse essa mesma direita, ameaçada de sair do poder, quem furasse o teto. Atônito com sua queda nas pesquisas, Biroliro bateu o pé e exigiu que o Auxílio Brasil seja de 400 reais. Foda-se se não há de onde tirar: o Minto é capaz de alugar um aviãozinho e jogar dinheiro na praia par garantir sua reeleição. Mesmo que isto exploda a economia brasileira.

6 comentários:

  1. O Mio Babbino Caro
    Esse bandido é capaz de revogar esse seu mesmo feito, minutos após sua posse caso vença. O que felizmente parece estar bastante distante porém já deram sinais do nível de canalhice que podem lançar mãos para conseguirem o poder. Vide o GOLPE que a essa altura acredito que não se tenha mais dúvidas de todo lixo subterrâneo para sua efetivação e que somente inocentes, bandidos e pessoas de má fé acreditaram que tudo aquilo era alternativa de poder para um Brasil melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só o ódio de classe e o racismo explicam o golpe. Claro! Teve um ou outro ingênuo que acreditou na balela da corrupção mas a maioria sentia um ódio implícito do Lula por ele ser quem é e da Dilma por ser mulher

      Excluir
    2. Não parece um contrassenso imaginar que O Tony estava nesse bolinho.

      Excluir
  2. Sou de esquerda e economista, então sigo economistas de esquerda: "O governo pode atacar a democracia, desestimular a vacinação e o isolamento social, recomendar cloroquina e os cacete. Até aí tudo bem. Oq os caras do Ministério da Economia não toleram são furos no teto de gastos pq isso queima eles no mercado na hora da porta giratória." por David Deccache, Assessor econômico na Câmara dos Deputados/PSOL e Professor voluntário no Departamento de Economia da UnB via twiter
    Nick

    ResponderExcluir
  3. Até os americanos tiveram que liberar o teto deles para a crise pós-covid. Para os donos do capital inflação e dólar alto não é problema, é dinheiro fácil. Nem vou falar da questão da dívida pública, que é sonhar demais...

    O problema do governo Bolsonaro é como essa decisão foi comunicada e elaborada. Elaborada? Não tem nem estratégia, é tudo muito improvisado. Como sempre, é uma ataboalhação sem fim. Dizem na boca pequena que Paulo Guedes - um economista que eu considero bem ultrapassado, diga-se de passagem - só está no cargo por chantagem. Será?

    Pra não ficar só na crítica e ser um pouquinho mais propostivo, uma medida interessante que poderia ser debatida, que já existe - smj, na Franca e/ou Alemanha - é a criação de um fundo para cobrir variações de preço do petróleo muito abruptas. O repasse à população não deixaria de existir, claro, mas seria muito mais atenuado. Quando o preço do petroleo dispara continuamente, eleva todos os preços junto com ele. Nossa malha de transporte é baseada totalmente nas estradas. É algo que deveria ser revisto também... mas acho que falar de infraestrutura é meio sonho também, não?

    Enfim...
    Diversificar ainda mais a matriz energética brasileira, tornar a cobrança de impostos progressiva e não regressiva (pois no fim os mais pobres pagam mais que os que têm muito dinheiro)...

    Temas muito mais importantes que voto distrital ou reforma administrativa, não?

    Bolsonaro é muito mal assessorado, mas nosso Congresso não está muito atrás...

    ResponderExcluir
  4. Quantas constatações óbvias para um governo sem a menor seriedade ou preocupações com esses temas.
    O "fundo que poderia ser para cobrir variações de preço do petróleo muito abruptas", foi sequestrado por Arthur Lira, direcionado ao Orçamento Secreto de Bolsonaro que você sabe bem pra quem e pra quê.
    G-

    ResponderExcluir