quinta-feira, 14 de outubro de 2021

UM LUGAR NA MESA

"Abe" teve uma trajetória acidentada. O primeiro longa de ficção de Fernando Grostein Andrade, o irmão gay do Luciano Huck, ficou pronto há mais de dois anos. Passou na Mostra de São Paulo de 2019 e teve sua estreia nos cinemas adiada sucessivas vezes, por causa da pandemia. Agora finalmente chegou à Netflix, talvez seu habitat ideal: é um filme feito para ser visto em casa, porque dá fome. O roteiro parece ter sido calibrado para ficar o mais fofo possível. Abe (Noah Schnapp, de "Stranger Things") é um garoto dividido: seus avós palestinos o chamam de Ibrahim, seu avô e tio israelenses preferem Abraham. Seus pais não se metem muito, mas mesmo assim o garoto se sente solitário e deslocado. Vai encontrar um porto seguro na comida, sob a batuta de um cozinheiro brasileiro vivido por Seu Jorge. Os closes culinários são tão maravilhosos que podem ser classificados como food porn, mas a dramaturgia deixa a desejar. Apesar de conviverem há cerca de 15 anos, os lados judeu e muçulmano da família não param de brigar entre si, por mais sagrada que seja a ocasião. Abe, que tenta unir a todos com sabores inusitados, vê seus esforços se frustarem. Claro que o final é o mais feliz possível, e o filme tem um apuro visual raro entre os nossos cineastas. Fico pensando o quanto tem de autobiográfico nessa história.

Um comentário:

  1. O Luciano Huck apareceu em outdoor da campanha "Judaísmo Faz Bem", mas vende mortadela no seu programa! Coitado do irmão!
    #huckhumilhaospobres
    #gugu2.0

    ResponderExcluir