quinta-feira, 30 de setembro de 2021

OS DOIS FILMES QUE PODIAM SER UM

O Brasil finalmente acordou para o true crime. Enquanto nos EUA existe há décadas a tradição de filmes e documentários sobre crimes da vida real, aqui o máximo que se produzia eram programinhas sensacionalistas tipo "Linha Direta". Um pouco por causa das famílias de vítimas e culpados - a Globo, por exemplo, jamais se atreveu a dramatizar a morte de Daniela Perez, para não melindrar a mãe da atriz, Gloria (mas uma série sobre o caso acaba de entrar em produção para a HBO). Só que a grana fala mais alto, e o sucesso de títulos como "Making a Murderer" por aqui mostrou que o público brasileiro tem fome por esse tipo de entretenimento. Abriu-se a porteira.

Um candidato óbvio era o assassinato dos pais de Suzane von Richthofen, que rendeu dois filmes do diretor Maurício Eça. A ideia dele era boa: até hoje Suzane e seu namorado e cúmplice Daniel Cravinhos se acusam mutuamente, contando versões bem diferentes do que de fato aconteceu. Assim, os longas "A Menina que Matou os Pais" e "O Menino que Matou Meus Pais", prontos há um ano e meio e adiados por causa da pandemia, assumem pontos de vista distintos. O par finalmente estreou na Amazon Prime Video, gerando um combate de opiniões na internet. Ontem vi os dois de enfiada, e achei... médios. Há muitas cenas repetidas nos dois longas, uma técnica comum nos seriados do gênero. Também há contrastes: Suzane é uma vilã maconheira em um deles, e uma criança assustada no outro. Mas fiquei com a sensação de que essas versões conflitantes poderiam conviver num só filme de duas horas, ao invés de dois de uma hora e meia. Carla Diaz às vezes passa do ponto, mas consegue capturar a expressão corporal de uma personagem 10 anos mais nova do que ela. Quem está bem mesmo é Leonardo Bittencourt, um ator que eu não conhecia. Enfim: "O Menino..." e "A Menina..." são os filmes do momento, e quem quiser ter assunto precisa vê-los. Mas ficariam melhores se fosse um só.

9 comentários:

  1. Infelizmente não teremos o terceiro filme, que seria A FILHA QUE NOS MATOU

    ResponderExcluir
  2. Enfim: "O Menino..." e "A Menina..." são os filmes do momento, e quem quiser ter assunto precisa vê-los.

    Me parece ser justamente o contrário. Não vejo ninguém fora da mídia falando sobre esses dois filmes...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PORQUE SÃO FILMES QUE ENDEUSAM
      UMA ASSASSINA.

      Excluir
  3. Eu passo! Acho uma adolescente matar por dinheiro lugar comum, criminosa do bar esquina. Tivemos crimes muito mais sofisticados no Brasil desde então e por muito mais dinheiro com direito a propaganda de alta divulgação (alguém viu a lei é para todos? Um filme de pura propaganda pra roubarem 34 trilhões de reais do pré sal?) muita gente foi assassinada para roubarem essa porra trilhonaria inclusive ministro do supremo isso sim é crime digno de série

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo 1 de outubro de 2021 11:49 - A classe média é o gado que acha que é do topo da pirâmide. Infelizmente não faz a autocrítica que exige das esquerdas e nem sabe que os direitos e benesses que usufrui foram conquistados por essa esquerda que ela odeia. Felipe Neto ao sair de sua bolha:

      https://www.youtube.com/watch?v=lWYJIDyhUQ8

      Excluir
    2. As vezes esquecemos que aqui é espaço para entretenimento.
      G-

      Excluir
    3. Veja o preço dos alimentos e gasolina tudo está relacionado ao petróleo a perda do pré sal vai ser sentida por gerações não vamos sair dessa merda tão cedo

      Excluir
  4. Sou fã de true crime há muitos anos, mas me limito aos documentários. Nunca curti as ficções biográficas ou baseadas em fatos (isso não só em true crime, por exemplo, sou fã de Queen mas nem quis assistir o filme, exatamente por ser fã e gostar apenas de documentários lançados anteriormente; quando se trata de contar a história de alguém de carne e osso eu não curto as liberdades criativas). Geralmente, essas ficções distorcem a realidade e podem favorecer demais ou denegrir demais a pessoas ou o evento retratados. Essa história da Suzane eu já conheço de cór. Temo que esses filmes "endeusem" as personagens-título, o que seria um desserviço, já que o público brasileiro sempre confundiu personagem de novela com ator na vida real.

    ResponderExcluir
  5. DENEGRIR??????Que palavrinha mais racista,hein....veja
    o filme sobre Elton John-é muito diferente do Fred
    Mercury Prateado.kkkkkk

    ResponderExcluir