quarta-feira, 4 de agosto de 2021

VACINA, SÓ COM PROPINA

Ainda bem que eu já operei o intestino, porque a segunda temporada da CPI da Pandemia poderia me dar mais um nó nas tripas. Eu achava que esse desgoverno era "só" negacionsita, e que se recusava a comprar vacinas por achá-las desnecessárias e caras. Nunca vou esquecer que o general Capachuello disse que elas seriam adquiridas "se houvesse demanda". Aí eles precisaram se mexer porque o Doria conseguiu a Coronavac e marcou um golaço político. Mas imunizar a população nunca foi a prioridade do ministério da Saúde. Depoimentos de figuras sinistras como o reverendo chorão mostram que essa cambada só queria comprar vacina se houvesse propina. Ir direto à Pfizer, sem ágio ou atravessador, nem pensar. E as vacinas em si nem precisariam ser entregues. Entidades desqualificadas como a Davati ou a Senah levariam algum, os pseudo-técnicos do governo levariam outro tanto, e pronto. Ninguém sabe, niguém viu.

3 comentários:

  1. Me parece um Exército Brancaleone da picaretagem. Começa com essa Davati que nunca teve nenhuma vacina e uns bandidinhos que cresceram o olho com a possibilidade de ganhar uns milhões por fora. Os picaretas daqui nem se deram ao trabalho de verificar se o picareta de lá tinha as vacinas. Isso nunca ia dar em nada, obviamente pararia quando chegasse até a Astra Zeneca, mas está servindo para mostra o grau de desonestidade e de tosquice desse governo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse era o governo que iria livrar o Brasil da corrupção.

      Excluir
  2. O que a Maria Paula (do Casseta e Planeta) faz envolvida com esse homem, hein???? Ela está no lado ruim da força?

    ResponderExcluir