domingo, 15 de agosto de 2021

REZA MAIS QUE NÃO TÁ FUNCIONANDO

O documentário "Pray Away" da Netflix não traz surpresas. Ele entrega exatamente o que promete: depoimentos de cortar o coração, de gente que dedicou boa parte de suas vidas ao movimento ex-gay. Muitas delas foram garotas-propaganda da fictícia terapia de conversão, desfilando como exemplo de quem conseguiu se livrar do pecado da homossexualidade. O filme se concentra na Exodus, que foi a maior organização do gênero por cerca de 30 anos e acabou quando muitos de seus líderes perceberam que não só continuavam tão gays quanto antes, como estavam causando mal a milhares de pessoas. Mas ainda existem dezenas de outros grupos nos EUA: um dos personagens do longa é uma ex-mulher transgênero, que agora se parece com um homem transgênero. Fica o alerta para nós, porque os evanjas vêm há anos pressionando Brasília para criar "clínicas" de cura gay por aqui. Vamos rezar para que não.

3 comentários:

  1. Um gay que não se aceita como gay é muito perigoso para a sociedade como um todo. Carluxo está aí para provar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb acho... vira uma espécie de bomba-relógio.

      Excluir
  2. O Mio Babbino Caro
    Um gay que se submete a isso, merece tudo isso...lamento.

    ResponderExcluir