segunda-feira, 9 de agosto de 2021

O SOPRANISTA

Chorei feito um botafoguense durante a cerimônia de encerramento das Olimpíadas. Qualquer coisinha me levava às lágrimas, pois estou desafogando a semana mais tensa da minha vida: os atletas empunhando as bandeiras de seus países; o astronauta francês tocando saxofone no espaço; os bailarinos fingindo serem moradores de Tóquio, numa das coreografias mais cringe de todos os tempos. Engraçado como os japoneses são minimalistas em quase tudo, do design à culinária, mas quando entram em cena viram os reis do overacting. E ninguém overactuou mais do que o divo Tomotaka Okamoto, que cantou o hino olímpico. Trata-se de um homem com voz de soprano (tecnicamente, um sopranista), e não um contralto com voz de castrato. Claro eu fui atrás da discografia do rapaz, que navega nas perigosas águas do classic fusion. O repertório é cheio de árias óbvias como "Nessun Dorma", hits crossover como "Con Te Partirò" e a inevitável "Bohemian Rhapsody", o karaokê favorito dos cantores de ópera. Virei fã, até porque Tomotaka parece minha saudosa tia Lourdes on acid.

3 comentários:

  1. Vou fazer um comentário aqui, só para essa postagem não passar batida. \0_0/

    ResponderExcluir
  2. Achei que iam meter um Mario...u

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Nitendo, assim como a Toyota e outros patrocinadores japoneses, deixaram suas cotas de lado e sumir das olimpíadas porque uma boa parcela da população japonesa não estava apoiando o evento.
      Por isso Mario ficou no armário.

      Excluir