quinta-feira, 19 de agosto de 2021

EMIRADO ISLÂMICO DO AFEGANISTÃO

O Talibã é que nem o Biroliro: promete que vai mudar, mas não muda. Dois dias depois da coletiva em que garantiram que iam pegar leve, os terroristas já mudaram o nome do país para Emirado Islâmico do Afeganistão, instituíram a bandeira aí ao lado e trouxeram de volta as mesmas leis que estavam em vigor em 2001. Já há relatos de perseguições a jornalistas e colaboradores das potências ocidentais. Mas, se o Talibã não mudou, o país em volta deles é outro. Nos últimos 20 anos os afegãos desfrutaram de liberdades até então inéditas, e a região de Cabul progrediu bastante (mas boa parte do país permanece na Antiguidade). São esses jovens que estão indo às ruas protestar contra a milícia islâmica, e levando bala. Mas será que o Talibã conseguirá calá-los? Conseguirá ser aceito por quantas nações se tratar mulheres feito bichos? Ficará no poder muito tempo? Tenho cá minhas dúvidas.

(reparou que eu escrevo "Talibã" neste post, e não mais "Taleban"? É porque a Folha mudou e adotou a grafia mais comum no Brasil. Não, neste blog eu não preciso seguir as regras do jornal, mas prefiro fazer como ele pede para ir me acostumando. Vai que amanhã eu tenho que escrever uma coluna sobre o Talibã para o F5)

Um comentário:

  1. Tá vendo o que a guerra faz...a escravidão está voltando Tony vc não viu a reforma trabalhista? O juros dos agiotas? Eu cuido da minha segurança sei que sou um alvo dos escravistas

    ResponderExcluir