sexta-feira, 25 de junho de 2021

PABLLO, QUAL É A MÚSICA?

Depois de um álbum cheio de convidados internacionais e letras em inglês ou espanhol, Pabllo Vittar se volta para seu país e seu passado. "Batidão Tropical", lançado nesta sexta, é um mergulho no tecnobrega, ou seja lá como se chama o que ela escutava na adolescência. Também já é um dos melhores discos nacionais do ano. Só as três primeiras faixas são inéditas; entre elas, a épica "Ama Sofre Chora" e o novo single, "Triste com T". As outras seis são covers de bandas como Kossikó, Ravelly e outras de que eu nunca tinha ouvido falar. Meus tímpanos sudestinos não conheciam nenhuma das músicas originais. Minha favorita é "Ultra Som", que não dura nem dois minutos - aliás, o álbum todo é curto, só 23 minutos. Mas sabemos que este é só o pontapé inicial do projeto: daqui a uns meses sai uma versão deluxe, com remixes e novidades. Tomara que tenha uma capa melhor do que a atual, em que a Pabllo parece ter um braço encolhido pela talidomida.

7 comentários:

  1. Hahaha
    Tbm não dei like na capa não

    ResponderExcluir
  2. Eu vivi esse momento kkkk Guarujá/SP e era comum nos DVDs comercializados nos camelôs shows da Cia do Calypso e sua "viada" vocalista. Pablo se tornou, no palco, a mulher que ele endeusava, é lindo de ver

    ResponderExcluir
  3. https://youtu.be/yMMNA2RxOrk

    Todo esplendor e glória da Mylla no palco, e em duas músicas regravadas por Pablo, referência é isso

    ResponderExcluir
  4. Não é por ser homossexual, mas ELE canta muito mal!! Parece um gato miando!! Voz horrível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gato? ELE é uma gralha de tão ruim.

      Excluir
  5. Sou obrigado a gostar só porque é LGBTQ+ ?
    Me pego bastante afinado com Tony nas séries e filmes… Mas nas indicações de música nunca, nunca, nunca rolou.

    ResponderExcluir