segunda-feira, 7 de junho de 2021

BOYLIVIANOS

Já vi filmes do Tchad e da Groenlândia, mas nunca tinha me passado pela frente uma produção da Bolívia, o país com que temos a nossa mais longa fronteira. Esse jejum terminou ontem. Assisti no canal HBO Mundi ao representante boliviano no Oscar do ano passado, o drama gay "Tu Me Manques". Não há muito sabor local. Só umas poucas cenas foram rodadas em Santa Cruz de la Sierra - a maioria foi em Nova York, e há muitos diálogos em inglês. Os nomes mais conhecidos do elenco são o argentino Oscar Martínez e a espanhola Rossy De Palma. Mas há algo no roteiro que eu suspeito que seja típico da terra de Evo Morales. A Bolívia está a anos-luz de alguns de seus vizinhos em matéria de homofobia: lá não existe casamento gay, e a bicharada é reprimida em todas as esferas da sociedade. Foi nesse contexto de relativo atraso que a peça "Tu Me Manques" causou furor em 2015, ao dramatizar o caso real de um rapaz que se matou por não ser aceito pela família. Esse texto teatral é a base do filme de Rodrigo Bellott, mas muitas coisas devem ter funcionado melhor no palco. Colocar 15 rapazes vestidos do mesmo jeito para representar o falecido não tem igual impacto na tela, e várias falas são óbvias e bem pouco coloquiais. Mesmo assim, vale a pena: a jornada de um pai que só se reconcilia com o filho homossexual depois que ele se mata emociona em qualquer contexto, e Rossy De Palma é sempre um deleite de se ver. Sem falar nas cenas de sexo, discretas porém calientes. Enfim: a Bolívia existe, e seus boys têm muito a dizer.

4 comentários:

  1. Ué? Como pode o Evo Morales, eleito pelo partido comunista e no poder por mais de 13 anos, não ter apoiado a causa LGBTQIA++???
    A esquerda não é sempre progressita e ultra moderna na ala dos costumes???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, não é. Os soviéticos, por exemplo, sempre perseguiram os gays. Cuba até hoje não aprovou o casamento homoafetivo, e a Venezuela chavista também é homofóbica. Pedro Castillo, candidato de extrema esquerda que está vencendo as eleições no Peru, é contra a imaginária "ideologia de gênero".

      Existe uma esquerda atrasada, assim como existe uma direita moderna.

      Excluir
    2. O Brasil é homofóbico!
      G-

      Excluir
    3. Se não vivêssemos numa realidade de EXTREMA EXPLORAÇÃO como a terra brasilisis seria até possível engolir a direita moderna mas aí eu vejo esses latifundiários esses banqueiros o que eles fazem...o que eles nos roubam e não esqueçam homofobia e misoginia estão casados e de misoginia ninguém bate a direita. Lembrem-se que o dia 8 março nasceu na união soviética e as mulheres tiveram papel fundamental na revolução russa uma delas era conhecida assassina de ricos

      Excluir