terça-feira, 15 de junho de 2021

CONTA, CONTA, MINHA GENTE

Adeptos do vaiquecolismo, bolsominions andaram espalhando que a motociata de sábado em São Paulo teria entrado para o Livro dos Recordes, por reunir mais de um milhão de motos. Não colou: basta espiar a página do Guiness. Além do mais, um número desses ocuparia mais de 100 km de estrada, uma distância maior do que até Jundiaí, e dá para ver pelas imagens que o grupo era bem menor. O governo paulista estimou cerca de 12 mil motos; depois esse número foi revisado para oito mil. Até que alguém se deu ao trabalho de aplicar um software e contar as motocas, uma por uma. Deu exatamente 6.253. "Ain, mas algumas tinham gente na garupa". Mesmo que todas tivessem, o que não é verdade, o número de homens brancos de meia idade (poucos manifestantes escapam dessa descrição) que gastou gasolina e dinheiro público para apoiar um incompetente não chega a 13 mil. Ainda assim, acho alto: esse gado não se comove com os quase 500 mil mortos?

4 comentários:

  1. Não que eu não adore ver Colostomito e seus minions desmentidos, mas "alguém" e "um software" tem toda a cara de ser do Detran-SP que tem acesso às imagens e ao software. Hoje eu estou gostando de ver um órgão de um estado governado por um opositor do Edair. Mas e no dia que isso for usado contra o povo? O próprio Mijair adora um assessoramento paralelo.

    ResponderExcluir
  2. Moto vota? Em 2022 saberemos.

    ResponderExcluir
  3. Enquanto todo mundo fica discutindo quantas motos eram ou deixaram de ser, a pandemia e o pandamito correm solto por aí piorando aquilo que já era o pior.

    ResponderExcluir