domingo, 9 de maio de 2021

TODA MÃE É UMA PEÇA

O segundo Dia das Mães da pandemia está muitísismo mais triste do que o primeiro. Milhares de mães perderam seus filhos e milhares de filhos perderam suas mães para a Covid-19. Fico pensando na Dona Déa Lúcia, e buscando motivos para não chorar: pelo menos ela teve uma relação plena com o Paulo Gustavo, pelo menos ela tem dois netos lindos, pelo menos... Também me consola lembrar que a maioria das mães idosas do Brasil já deve estar vacinada. Mas ainda faltam os filhos, os netos, mais de 80% da população. Enquanto isso, Pandemito agora deu para desfilar de moto sem capacete, testando o Código Nacional de Trânsito e a nossa capacidade de controlar o desejo de que ele se esborrache contra um poste e seus miolos se espalhem pelo asfalto. Feliz Dia das Mães, galera: para quem tem, para quem teve, para quem será. Menos para quem ainda vota no Edaír Biroliro.

4 comentários:

  1. O Mio Babbino Caro

    Isso mesmo Tony e tomara que os Bolsonaristas que ainda frequentam aqui morram juntos.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 22:26
      Só continua a apoiar a morte de 25 " bandidos".

      Excluir
  3. Perguntinha nada a ver com tópico mas está difícil resistir:

    Tony. você como fã de premiações, vai escrever algum texto sobre a crise no Globo de Ouro?

    ResponderExcluir