domingo, 2 de maio de 2021

O SELINHO DA MULHER ARANHA

Durante uma ditadura em um país latino-americano, uma bicha de uma certa idade conhece um militante de esquerda. Ela se encanta por ele; ele até não desgosta dela, mas o que quer mesmo é ajuda para um plano. Soa familiar? O plot básico de "O Beijo da Mulher Aranha" ganhou uma variação no filme chileno "Tenho Medo, Toureiro", que acaba de chegar à Amazon Prime Video. A ação se passa em 1986, em Santiago, quando o regime de Augusto Pinochet já estava nas últimas. Uma travesti entrada em anos é abordada por um guapo mexicano, que a convence a esconder uma caixa em sua casa - lá dentro, armas que serão usadas num atentado que aconteceu mesmo contra o ditador. Alfredo Castro, que já fez até minissérie no Brasil, está muito bem como a protagonista, mas eu impliquei um pouco com o tratamento caricato dado às cacuras. Mesmo no velório de uma delas, as outras não resistem a fazer uma coreô com dublagem, como se não captassem a gravidade do momento. "Tenho Medo Toureiro" ainda se rende ao obrigatório desfecho amargo, pois bicha não tem direito de ser feliz. Esse arremedo de beijo não passa de um selinho envergonhado.

4 comentários:

  1. O Mio Babbino Caro
    O bom de envelhecer é a sensação de já ter visto tudo de forma bem mais original.

    ResponderExcluir
  2. Eu não quero acreditar que todos esses fogos que estão pipocando por aqui é por causa da saída do Gil. Que cá entre nós, passou o rodo nessa edição hein!
    Nick

    ResponderExcluir
  3. Esse desfecho amargo obrigatório de muitos filmes gays é antiquado e desisteressante. Na época em que bixa nem podia casar, era até legal e talz, mas agora que 1 em cada 6 adolescentes (americanos) se delclara abertamente queer isso parece coisa de bixa velha complexada.

    ResponderExcluir
  4. Esse Alfredo Castro deve ser tipo o Darín do Chile; todo filme chileno que vejo ele aparece...

    ResponderExcluir