segunda-feira, 26 de abril de 2021

O PAI DE TODOS

Sir Anthony Hopkins já está acima do bem e do mal. Ele não precisa provar mais nada para ninguém, nem está preocupado com prêmios. Hopkins sabe que está no pleno domínio de seus superpoderes de atuação, e isto basta. Por isto,  nem se deu ao trabalho de sair de sua casa no País de Gales para ir à cerimônia do BAFTA, em que venceu como melhor ator por "Meu Pai". Nem deixou que os produtores do Oscar levassem câmeras e microfones até ele para agradecer por uma eventual vitória. Que acabou acontecendo, frustrando o plano de Steven Soderbergh de encerrar a entrega do prêmio da Academia com um discurso emocionado da viúva de Chadwick Boseman. A cerimônia mais esquisita de todos os tempos acabou assim, de repente, em total anticlímax. Meu coração se divide: Chadwick era um grande ator, e a indicação por "A Voz Suprema do Blues" era sua única chance de entrar para a história do Oscar. Mas a performance de Anthony Hopkins em "Meu Pai" é simplesmente perfeita. Corra para ver se você ainda não viu.

(Meus comentários sobre a cerimônia de ontem estão aqui, no F5)

3 comentários:

  1. BAFTA mais uma vez servindo de termômetro para o Oscar, quem venceu nas categorias de atuação levou na Academia. E esse Oscar a Frances Mcdormand hein, uma coisa nada a ver. Academia sai queimada, mas sempre sai, e continua a fazer merda. Com as outras atrizes com interpretações arrebatadoras, a vitória de Frances foi forçada demais. Para se ver, que quando a Academia gosta faz loucuras, Frances com 3 Oscar, e Glenn sem nenhum.

    ResponderExcluir
  2. Ele, achando que não ia ganhar, decidiu que era melhor não correr o risco de se aglomerar mesmo com o controle rígido que fora montado dado sua idade avançada.

    ResponderExcluir
  3. O ÓSCAR É UM LIXO passa pra outra coisa Tony ! Prêmio idiota supremacista branco

    ResponderExcluir