quarta-feira, 14 de abril de 2021

TAHAR NA CARA

Por favor, não me odeie, mas eu dei a volta ao mundo aos 17 anos de idade. Minha avó me levou com ela numa excursão em que quase só havia velhas. Em pouco mais de um mês, passamos por dez países. Cinco deles na Ásia: Indonésia, Tailândia, Nepal, Índia e Irã (antes dos aiatolás). Esta viagem de 1978 está me dando uma camada extra de prazer quando eu vejo "O Paraíso e a Serpente", que chegou à Netflix. A minissérie é baseada no caso real de um negociante de pedras preciosas franco-vietnamita, radicado em Bangkok na década de 1970. O cara drogava, roubava e matava mochileiros ocidentais que rodavam pela Ásia. As locações são sensacionais, e eu fico o tempo todo importunando meu marido: "olha o hotel em que eu fiquei! eu também fui a esse templo! comi nesse restaurante!". Claro que não os mesmos lugares onde eu estive, mas a sensação é deliciosa. O deleite é potencializado pela presença de Tahar Rahim, o ator francês de origem árabe que encarna o protagonista. Um assombro: além de bonito e carismático, ele consegue se metamorfosear. É difícil acreditar que o sujeito risonho da série "The Eddy" agora é um serial killer eurasiano que quase não ri. Tahar também acaba de ser indicado ao Globo de Ouro pelo filme "The Mauritanian", ainda inédito por aqui. Falando um inglês perfeito, ele ainda vai longe. Eu vejo um Oscar em seu futuro.

25 comentários:

  1. Te odiar por que? Só por ter uma vida boa? Bobagem, você não tem culpa da estrutura do mundo. Eu adoraria ter uma avó que me levasse em uma viagem assim...A minha avó era adorável mas não tinha essa condição, nossa viagem vinha da música, dançando ao som de Luiz Gonzaga, já dançou forró com sua avó?

    ResponderExcluir
  2. Te odiar por que? Só porque viajou aos 17 anos?!!! Explica melhor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui é o Tony, deixa eu te explicar: a maioria dos meus leitores são semi analfabetos e como consequencia disso o alto nível de inveja impera aqui no meio!

      Excluir
    2. Não tô sentindo inveja não, só amor.

      Excluir
    3. Mas todo mundo fala que vcs ficaram mais ou menos bem de vinda depois que fugiram do Rio ne!

      Excluir
    4. O marido do tony era de família rica.

      Excluir
  3. Que isso Tony, nunca te odiaria, você é maravilhoso e não tem culpa de ter nascido em uma família rica com condições de viajar o mundo, o que você achou do Irã pré-revolucionário? Era tão liberal nos costumes quanto já ouvi dizer? Eu já vi fotos das garotas de minissaias, imagino que deveria ter muita vida noturna, tinha points LGBTS? Mas eu sei que democrático não era, pois o xá Reza Pahlevi, apesar de ser um coroa elegante, bonitão , também era bem repressor contra os opositores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tinha 17 anos e estava com a vovó. Nem pensei em procurar points LGBT. Fora que era 1978: mesmo sob o xá Reza Pahlevi, o Irã não era exatamente liberal.

      Excluir
    2. Gabriel, igualmente a vc eu tb fico impressionado com esse pessoal rico que viajam para esses lugares exoticos onde jamais nos iremos e fico arrepiado só de ouvir as historias que eles contam. Principalmente as historias da realeza e a noite na minha cama de capim fico a sonhar que um dia um príncipe vai aparecer e querer casar com eu e me levar para morar num castelo na Escocia....

      Excluir
    3. Kkkkkkkk essa dai tirou a maior onda na cara das duas idiotas kkkkkkk

      Excluir
  4. Eu conheço o Tahar Rahim do filme Samba, apesar do título o filme não tem nada a ver com o nosso ritmo musical rsss, apesar do personagem título interpretado pelo deus de ébano Omar Sy ser um imigrante senelagês na França e o samba ser um ritmo com raízes na África também, o Tahar fez um personagem coadjuvante mas gostei muito da atuação dele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele está ótimo neste filme, engraçadíssimo. Faz um marroquino que, para pegar mulher, finge ser um brasileiro chamado Wilson.

      Excluir
  5. E sobre o Oscar. Será que Glenn leva? Tenho dúvidas. Bem capaz da Academia entregar a ela, por ela estar concorrendo na categoria coadjuvante, do jeito que não gostam da Glenn, viriam isso como uma espécie de humilhação, uma resposta que poderia ser lida: taí seu Oscar, e pronto, se contente, só vai levar esse mesmo; mas Yuh-jung Youn, venceu Sag, termômetro de Hollywood, e BAFTA, termômetro de como votam os britânicos, e Glenn vem levando poucos prêmios.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Glenn não leva não. O filme foi muito malhado. Já "Minari" foi elogiadíssimo. Acho que vai Yuh-Jung Youn.

      Talvez a Academia esteja guardando o Oscar da Glenn para "Sunset Boulevard"... se algum dia o filme for feito.

      Excluir
  6. Essa série é ótima, e super estilosa; os setenta foram definitivamente a década mais cool, ainda que eu ainda fosse uma criancinha nesses tempos, adoro as roupas, os cabelos, e principalmente a música...Serge Gainsbourg de trilha sonora, não tem como essa série ser ruim...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem uma das minhas favoritas do Gainsbourg: "69 Année Érotique", um dueto com Jane Birkin.

      Excluir
  7. Do jeito que vc fala parece que sua família era riquíssima, mas era apenas mais uma que vivia apenas de aparência ou vivendo apenas o dia de hoje. Vc contou no blog que seu pau deixou apenas um título de clube para vcs, Porém É inegável a ótima educação que vc é seu irmão tiveram, tanto que são profissionais de sucesso, seu irmão fez história da mtv.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca falei que era riquíssima. Aliás, nem rica, por que nunca tivemos muita coisa. Não vivíamos "de aparência" porque não queríamos ostentar nada, mas é verdade que gastávamos tudo o que tínhamos. Meu pai, que foi presidente do BNH, nunca comprou um imóvel para si mesmo, que tal?

      Boa educação, tivemos mesmo. Sinto pena de não ter estudado no exterior, feito uma pós, algo assim. Mas sempre viajei muito.

      Excluir
    2. Seu pai-não o seu pau,corrigindo.O Oscar é assim,
      esnobam Glenn,Chaplin,Hitchcock,Helena Bonham Carter
      Robert de Niro,Al Pacino,Bacurau e et cetera.

      Excluir
    3. Tony eu descobri que você chama Luiz Antônio Barreto Goes e você já disse aqui no blog que seu pai era cearense,vcs tem parentesco com os Barreto do cinema?Luiz Carlos,Bruno e o saudoso Fábio,o Luiz Carlos também é cearense.

      Excluir
    4. Que mais você descobriu? Meu CPF, minha senha no banco, minha chave Pix?

      Luiz Carlos Barreto é primo-irmão do meu pai. Bruno Barreto e eu compartilhamos a mesma bisavó.

      Excluir
  8. Que te odiar nada!!! Agora diz para gente, deu uns perdidos nas véias e deu muito essa bundinha, hum? Algum iraniano barbudão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que nada. Eu só fui transar com homem quatro anos depois.

      Mas de fato vi muito iraniano bonito.

      Excluir
  9. E a maioria das iranianas usavam hijab?Pq eu já ouvi dizer que o hijab estava fora de moda antes da Revolução Iraniana,os aiatolás que as teriam forçado a voltar a usar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No Irã elas usam um véu chamado chador, bem grande e largo. Parece um cobertor. Geralmente é preto.

      Quando eu estive lá, muitas mulheres já usavam chador na rua, especialmente fora de Teerã.

      Excluir