quinta-feira, 29 de abril de 2021

O ARREPENDIMENTO COMO ESPETÁCULO

Já trabalhei com gente movida a animosidade. Gente que precisa estar brigando o tempo todo, com quem quer que seja. Não há talento fenomenal que justifique essa beligerância, e no fim quem se dá mal é sempre o próprio briguento. Não conheço a Karol Conká pessoalmente, mas ela parece se encaixar nesse figurino direitinho. Na minissérie "A Vida Depois do Tombo", que chegou hoje ao Globoplay, não faltam produtores reclamando dela. Karol conseguiu romper com quase todos, e as disputas foram parar na Justiça. O resultado é que, de seus 10 maiores sucessos, sete não tiveram autorização para serem tocados na série. Mas a personalidade difícil da moça é duramente castigada ao longo dos quatro episódios. Depois de ter que pedir perdão no "Plantão BBB", na Ana Maria Braga, no Fantástico, no Faustão, Karol agora é colocada numa sala pentagonal, cujas paredes são gigantescas telas de LED. Lá é obrigada a rever seus piores momentos no BBB, e também as opiniões que outros eliminados têm dela. No estilo mais sensacionalista, a produção tenta promover reencontros de Karol com ex-brothers, mas só sua amiga Lumena aparece. Arcrebiano, Carla Diaz e Lucas Penteado se recusaram a ir. Este ainda mandou um vídeo que faz a rapper chorar pela enésima vez. Muito se disse da Globo estar se esforçando para ajudar Karol Conká a reconstruir sua carreira, e que esta série documental seria um pilar desse plano de reabilitação. Mas "A Vida Depois do Tombo" está mais para um produto costurado às pressas, para estrear antes mesmo do final do "BBB21". A contrição da cantora é tratada como entretenimento. Acaba torturando também o espectador.

16 comentários:

  1. O Mio Babbino Caro
    Me chamem Susan Sontag, cruze os Andes nós 70's e vá direto à pasteurização dos 00's. Não quero isso pra mim.
    Agnus Sei.

    ResponderExcluir
  2. Foi muito sem noção lançar esse documentário sem antes terminar o BBB,vai levar tempo para ela digerir tudo isso e creio que nunca recuperará a carreira. Compreendo a dor dela, porque quando acontece uma merda a gente fica mal, deduzo que deve estar sendo barra pesada, ver tantas pessoas chateadas, decepcionadas e zangadas com você, é para entrar num buraco e sair daqui 5 anos.

    ResponderExcluir
  3. O historiador Raymundo Jonathan postou no instagram um belíssimo paralelo em relação ao ocorrido com ela e a ascensão do povo negro, que para vc homem branco, passou batido.

    E no meio dessa baixaria toda é necessário um adendo: Caráter não tem cor, julgamento tem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho para mim que muito da chateação e perseguição que as pessoas tem com ela, vem inconscientemente (ou propositalmente) do fato dela ser uma mulher negra com opções de moda fora dos padrões. Se fosse uma mulher branca padrãozinho, tipo a Angélica, que tivesse feito o que ela fez, não teria sido tão condenada quanto ela foi.

      Excluir
  4. Concordo que não é caso da Globo querer restabelecer ela ou não. Mas ela virou tipo um defunto no Aqui e Agora que rende assunto. Sensacionalismo, como você bem falou. Feito as pressas. Sem necessidade.

    ResponderExcluir
  5. Fico me perguntando se esse programa é mais uma estratégia de marketing para o BBB do que propriamente para alavancar/restituir a carreira dela. Acaba ficando uma coisa chata e até sem propósito. Ela foi excessivamente julgada pelo fato de ser negra? Provavelmente…
    Mas se fosse uma loura bonita já tinha rodado na primeira semana, como aconteceu em praticamente todas as edições. Curioso é que já tinha visto milhares de programas com ela e ela sempre fazia aquela linha “ espevitada “, alegre e muito comunicativa.
    Enfim, acho extremamente desnecessário principalmente nessa fase que a emissora passa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não foi um erro da globo esse documentário não. Foi um tiro bem dado. Estamos todos aqui dando audiência e falando sobre ele.

      Excluir
    2. Sarah é uma loura bonita que apoia o Bozo e é anti vacina. Não vi ela saindo na primeira semana...

      Excluir
  6. Eu tentei ficar num show dela até o final e não consegui.

    ResponderExcluir
  7. É muito fácil usar a muleta do racismo como justificativa, mas a meu ver o motivo da rejeição a ela foi outro.

    Nos últimos anos, vêm surgindo artistas que ganham holofotes mais por seu ativismo ideológico e político do que pelo sucesso de sua produção artística. Não digo isso como uma crítica à manifestação ou ao mérito de seus posicionamentos, com os quais por vezes até concordo. Mas isso às vezes pode ser uma armadilha ao próprio artista, e o preço a se pagar pode ser caro, afinal eles mesmos constroem essa imagem e seguem constantemente alimentando esse ideal de "fadas sensatas" e "closes certos". É o chamado pavoneamento de virtudes.

    Tal é o choque quando o povo vê alguém que se apresenta como referência de comportamento e arauto da correção se comportar como um escroto. Quem sempre se coloca como exemplo conta menos com a tolerância do público e deixa pouca margem pros erros, diferente de quem já era visto antes como babaca. A hipocrisia muitas vezes irrita mais do que os atos em si. Acredito que foi aí que ela tombou (sem trocadilho).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bravo! Enfim a lucidez.

      Excluir
    2. Sua teoria pode ser válida para a Lumena.Mas, ao contrário dela, a Carol nunca pousou de ativista. Até ao contrário, ela, com suas músicas voltadas explicitamente ao sexo, só era considerada só uma mulher feia, piranha e safada. Agora é considerada feia, piranha, safada e malvada. A bruxa perfeita.

      Excluir
    3. Anônima 1 de maio de 2021 11:54 - KK sempre posou de ativista. Em que mundo você vive? Ninguém conhecia Lumena. A rejeição que ela sofreu foi só por ser escrota e "dona da verdade". Nem tudo é racismo. Pessoas de todas as raças/crenças/condições sexuais/sociais/escolaridade/caralho a quatro, podem ser escrotas e mal intencionadas. KK é um exemplo.

      Excluir
    4. Fosse a Karol branquela,filha da Glória Pires,bozo-
      lava-jatista e cangaceira nordestina como a Juliette
      seria considerada a gênia da raça brasileira.DUVIDAM?

      Excluir
  8. Bem que os Galãs Feios avisaram quando ela ainda estava no BBB. Que KK teria uma assessoria para limpar a imagem. Coisa que Lumena, Negro Di e outros escrotos não teriam (nem merecem). NMJ, acho que ela devia sofrer por mais tempo. O comportamento abusivo dela vem de longe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu vi também o vídeo dos Galãs Feios

      Excluir