segunda-feira, 5 de abril de 2021

ORGULHO E DESRESPEITO

Não se passa um ano sem que saia pelo menos uma nova adaptação para o cinema ou a TV de um livro de Jane Austen. A obra dessa inglesa morta há mais de 200 anos já inspirou até novela no Brasil, "Orgulho e Paixão", e ainda ganhou variantes com zumbis e mostros marinhos nos últimos anos. A fome por suas histórias é tão grande que nem "Sanditon", um volume que ela deixou inacabado, escapou. A minissérie do mesmo nome que acaba de chegar ao Globoplay queima todos os 11 capítulos originais logo no primeiro episódio. Dali em diante, o roteirista Andrew Davies, um dos mais importantes do Reino Unido, leva adiante a trama de uma maneira totalmente contemporânea. A heroína espevitada torna-se uma proto-feminista; uma rica herdeira birracial levanta a bola do preconceito; rapazes espadaúdos aparecem tomando banho de mar completamente nus. A Sanditon do título é uma cidade à beira-mar que um empresário meio irresponsável quer transformar num resort de luxo, para uma clientela aristocrática. É interessante ver a moderna indústria do turismo surgir no começo do século 19, mas a série está mais focada nas escapadas amorosas e maquinações desonestas dos personagens. Pena que "Sanditon" tenha dado o azar de estrear no Brasil depois de "Bridgerton", que deu uma bela chacoalhada no gênero de época. Perto desse fenômeno, o remix de Jane Austen não passa de um divertissement comportado e esquecível.

3 comentários:

  1. Nossa, não achei Bridgerton essas coisas todas... E ainda me dá agonia imaginar que o belo Duque de Hastings pode ser um escravocrata longe do romantismo/fantasia da série, ou seria um capitão-do-mato?

    ResponderExcluir
  2. Fiquei curioso quem é a variante zumbi de um livro de Jane Austen?

    ResponderExcluir