sábado, 24 de abril de 2021

DIZ QUE FUI POR AÍ

Pronto: consegui ver todos os filmes indicados nas principais categorias do Oscar. Achei que neste ano eu iria chegar à cerimônia sem ver tudo, pela primeira vez desde a década de 90, mas deu. Ufa. Hoje reabriram alguns cinemas em São Paulo e eu corri para ver "Nomadland" na tela grande, que é o habitat natural dele. É mesmo uma beleza. Fotografia, edição e música são primorosas e a direção de Chloé Zhao arranca interpretações comoventes dos não-atores que formam quase todo o elenco. Mas não acho que mereça o prêmio de roteiro adaptado. Não há história, só um fiapo de arco dramático. A protagonista não muda. Frances McDormand tampouco merece um terceiro Oscar, porque sua Fern é basicamente a mesma personagem de "Três Anúncios para um Crime" depois de perder a casa e sair vagando pelo mundo. Mas o filme é uma bela meditação sobre a América moderna, cujo sistema desumano não chega a desumanizar os indivíduos. O Oscar parece inevitável, e será o segundo ano seguido em que um bom longa sobre a desigualdade sai vencedor na Academia.

Um comentário:

  1. Sério que reabriram os cinemas? Pode abrir reabrir eu só saio de casa depois da vacina ontem meu vizinho Levy Fidelix morreu já perdemos um tio e um amigo da família está um massacre

    ResponderExcluir