sábado, 6 de fevereiro de 2021

DR EM PB

É preciso estar interessado em todas as atrizes cotadas ao Oscar para encarar "Malcolm & Marie" numa boa. Ou então, ser muito fã de Zendaya. Eu só me encaixo no primeiro caso. Acho a estrela de "Euphoria", uma série que não me pegou, competente e carismática, mas não me rendi a ela. Admito que ela está bem no filme que acabou de estrear na Netflix, cuja proposta é, digamos, desafiadora: uma longa DR entre um casal de pessoas desagradáveis. Ele é um cineasta inseguro, que consegue ver maldade e racismo até nas críticas mais positivas. Ela, ressentida por ele ter filmado a história dela, uma ex-junkie, e não tê-la chamado para o papel principal. Toda a ação se passa depois da noite da estreia, quando os dois voltam para casa. Ela prepara um mac and cheese e toneladas de ressentimento vem à tona, porque ele se esqueceu de agradecê-la no discurso à plateia. Há momentos muito bons, mas dava para cortar bastante coisa. O diretor Sam Levinson, que também criou "Euphoria", realizou este filme em preto-e-branco durante a pandemia, que felizmente não é mencionada. Eu garanto que estão rolando tretas mais divertidas no "BBB 21".

3 comentários:

  1. Zendaya é uma graça. But thank you next

    ResponderExcluir
  2. o último lançamento que realmente me pegou foi “tigre branco”. desde então, acho tudo meio desinteressante e acabo me distraindo nos primeiros minutos.

    ResponderExcluir
  3. Para os "brancos" brasileiros uma película dessas deve soar quase como uma ofensa.

    ResponderExcluir