quarta-feira, 3 de fevereiro de 2021

BEM QUE SE KICIS

Eu tentei nao entrar em depressão depois do resultado das eleições para as presidências da Câmara e do Senado. Repeti para mim mesmo o que boa parte da imprensa vem dizendo por aí: Biroliro teve uma vitória de Pirro, pois agora seu destino está nas mãos do Centrão. Ganhou um apoio que nem sequer foi vendido, e sim alugado - a um preço que é revisado para cima todo mês. Mas o deputado Arthur Lira já dá mostras de que é um Eduardo Cunha redivivo, sem pudor de fazer canalhices. Primeiro tentou tirar toda a oposição da Mesa Diretora, numa manobra que poderia ser questionada no STF. Depois voltou atrás e entrou em acordo, mas aprontou uma pior ainda: indicou Bia Kicis para o comando da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, a mais importante de todas. A deputada pelo PSL do Distrito Federal disputa com o brucutu Daniel Silveira, aquele que rasgou a placa da Marielle, o título de pior parlamentar do Brasil. É uma extremista ignorante e arrogante, que se jacta de ter trabalhado aos 12 anos fazendo brigadeiro para pagar suas aulas de tênis, e que já clamou por intervenção militar na tribuna do Congresso. Também é a rainha das fake news e do negacionismo. Lira quis certamente agradar os minions mais irracionais, para talvez ir contra eles em outras áreas. Mas a simples existência de Bia Kicis já é um perigo para o país. À frente da CCJ, é um achincalhe e uma desgraça.

13 comentários:

  1. O pior é a certeza de que tudo pode e vai piorar.

    ResponderExcluir
  2. Caminhamos a passos largos para o desastre total, quando pensamos que nada mais pode acontecer vem mais um tiro de canhão. Essa senhora prova que nem só dá escrotidão masculina vive a política brasileira...

    ResponderExcluir
  3. Na minha ínfima experiência com eleição aprendi uma coisa: eleitor não tem ídolo, ou ele é controlado pelo voto prometido, urna por urna( em pequenas localidades); ou responde de acordo com o próprio bolso, se tem dinheiro para comer e beber tá de boas.
    Eleição passada isso ficou bem claro, a coisa está pavorosa, muitos passando necessidade, outros diminuindo gastos. E o que se viu foi o desmonte de vários poderosos, que encolheram seu alcance. Não apenas Bolsonaro.
    E assim como Trump papo furado e dinheirinho na véspera da eleição não vai resolver muito.
    Mas...esse povo eleito segue alheio a mesa do brasileiro.

    ResponderExcluir
  4. O Mio Babbino Caro
    ...Tudo isso e ainda mais. Agora me digam: O impeachment da Dilma só a fez maior. É mais fácil encontrar quem votou em Bolsonaro do que quem apoiou o Impeachment da Dilma, não é...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei ele deletou, mas o Tony fez um post aqui no blog sobre a manifestação na Paulista em março de 2016, na qual ele se dizia emocionado de estar presente. Na ocasião, eu falei de que ele estava caminhando lado a lado, da escória evangélica a família miliciana, e aquilo era inconsequente e não tinha como dar certo.. É como Brecht dizia... primeiro levaram os petistas, mas eu não sou petista e não me importei, depois levaram sicranos, mas .. etc etc

      Excluir
    2. Tony indo para rua: http://www.tonygoes.com.br/2016/03/dessa-vez-eu-vou-pra-rua.html

      Excluir
    3. AJA teve outro post após este, não sei aqui no blog ou no Insta, foi logo após o “ato”... se não achar, pode ter sido apagado.

      Excluir
    4. Eu só apaguei três posts até hoje, para evitar problemas legais. Um deles depois voltou. Todos há muito tempo, e nenhum sobre alguma opinião política minha - que, aliás, não mudou nesses anos todos.

      Procurem com mais afinco.

      Excluir
    5. Tony, temos mais o que fazer. Sabemos o que você fez em verões passados.

      Excluir
  5. Essa mulher é um lixo; uma concentração de tudo o que há de mais canalha, reprovável e imundo na nossa política. Só me resta lamentar por isso.

    ResponderExcluir
  6. Vão empurrar pato na paulista que passa ...

    ResponderExcluir
  7. Caro, avisa sua amiga Marília que a Bia não foi procuradora da República. Ela foi procuradora do DF, cargo que não é do Ministério Público, é uma espécie de AGU do Distrito Federal. Grato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe, o corretor trocou o nome, era Mariliz

      Excluir