quarta-feira, 13 de janeiro de 2021

FAMÍLIA PÓS-MODERNA

Depois de décadas em que quase só havia filmes sobre a saída do armário, agora estão se tornando mais comuns os que mostram gays de meia idade. Um exemplo recente é novo do italiano de origem turca Ferzan Ozpetek, que tem toda uma filmografia dedicada à viadagem. "A Deusa da Fortuna" não entrou em cartaz nos cinemas brasileiros, mas está passando direto no canal HBO Mundi - consulte a sua operadora. Vale a pena ver, apesar do roteiro algo previsível. Um casal de homens junto há uns 20 anos mantém um relacionamento aberto, mas as coisas começam a sair do controle. Um deles não se furta em transar com um convidado durante uma festa em sua própria casa, e o marido percebe. Este, por outro lado, tem um caso fixo há dois anos, o que faz o caldo entornar. Mas eis que surge um complicador: a melhor amiga deles está muito doente, e precisa de alguém que cuide das crianças. O final óbvio é amaciado por vários diálogos inteligentes e um palazzo na Sicília onde Sophia Loren gravou um comercial. A atriz Jasmine Trinca venceu o David Di Donatello, o Oscar da Itália, mas meu leitorado vai gostar mesmo é de Edoardo Leo.

2 comentários:

  1. Eu já me enjoei de "filmes gay" onde a temática principal gira em torno do drama de ser, se entender, ou se assumir gay. Acho bem mais interessante filmes como "AKRON", onde toda a temática "gay" é um mero detalhe do filme (um detalhe significativo, mas um detalhe). "A Deusa da Fortuna" até me pareceu ser nessa linha, mas não vou correr atrás do HBO Mundi só por causa dele. Quando sair em algum streaming eu vejo!

    ResponderExcluir
  2. Do Léo e do Stefano...desde A Janela da Frente... Gamei no filme, já vi duas vezes. E tem Diodato e la Vera Dea...Mina!

    ResponderExcluir