segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

A ESTRELA DE BELÉM

Presenciar grandes eventos astronômicos não está no meu mapa astral. Eu já fazia parte da humanidade quando o cometa de Halley deu no-show em 1986. Vi um único eclipse solar, quando eu era bem pequeno, e estrelas cadentes não fazem parte do meu currículo. Com esse histórico, era óbvio que eu iria perder a rara conjunção entre Júpiter e Saturno que aconteceu neste dia 21. São Paulo já não é um bom posto de observação, e o céu estava nublado na hora do por do sol. Ainda bem que o fenômeno será visível até 26/12. Senão, terei que esperar até 2080 para ver a estrela de Belém.

6 comentários:

  1. Chuvas de meteoros? Nunca consegui. Sempre tá nublado por aqui...

    ResponderExcluir
  2. Jesus está nascendo para combater o Messias!!!

    ResponderExcluir
  3. O Mio Babbino Caro
    Que delicia ler os textos do Tony!!!!!

    ResponderExcluir
  4. 2 planetas gigantes lindos e fodasticos com certeza a vida é melhor que aqui

    ResponderExcluir
  5. O Brasil é o único país grande sem um programa espacial os americanos sabotaram e explodiram Alcântara em 2003 e agora tomam conta do lugar, somos colônia e todos nós sofremos a consequência disso.

    ResponderExcluir