sexta-feira, 6 de novembro de 2020

A MOSTRA EM CASA - 2

Tentei me refugiar do imbróglio das eleições americanas nos filmes da Mostra. Nem sempre eram bons, infelizmente, como é o caso de "Shirley". O que no trailer parece uma comédia intelectualizada e perversa, na prática é uma variante de "Quem Tem Medo de Virginia Woolf": um casal de escritores e professores universitários recebe um casal idem mais jovem, e as faíscas voam. Elisabeth Moss está fantástica como o esperado no papel-título, mas ainda é pouco.
Mais interessante é "Minha Irmã", representante da Suíça no próximo Oscar. A trama foca na relação entre um casal de gêmeos. Ela tenta cuidar dele, que está com câncer terminal. os atores estão todos ótimos e há uma cena em que o doente surta durante um salto de pára-quedas que é de arrepiar as sobrancelhas.
"Aranha" foi o indicado do Chile para o Oscar deste ano. É uma co-produção com o Brasil, o que agrante vários conterrâneos nossos na ficha técnia e Caio Blat no elenco. Mas quem brilha mesmo é a atriz argentina Mercedes Morán. Ela faz uma ex-miss que lidera uma organização terrorista de extrema-direita, cujo logotipo lembra a aranha do título. O grupo promove atentados desde o golpe que derrubou Salvador Allende em 1973, e agora se volta contra os imigrantes haitianos que estão se instalando por lá. Uma sequência eletrizante logo no início mostra um carro perseguindo um ladrão de bolsas pelas ruas de Santiago. Mais um bm dfilme de Andres wood, diretor de "Violeta Foi para o Céu". 
O tenso "Exílio" é o escolhido por Kosovo para cavar uma vaga no Oscar. O protagonista é um imigrante kosovar na Alemanha que acha que está sofrendo um bullying violentíssimo por causa de sua origem. No trabalho, ele não é chamado para reuniões e se sente esnobado por todos; em casa, ratos mortos vêm aparecendo em sua caixa de correio. Pode ser paranoia da cabeça dele, pode não ser. Fotografado em tons de verde e amarelo, o filme é claustrofóbico, mas seu desfecho não compensa o suspense construído ao longo de duas horas.

5 comentários:

  1. Algum filme gay para indicar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filme não sei, mas tem o festival de nudes do Hunter Biden bombando. Tem chem sex, piroca na pizza e muita animação com uma turminha do barulho. Recomendo.

      Excluir
    2. Gosto de filme gay mas não necessariamente pornô!

      Excluir
    3. 00h37 Também, mas Hunter me conquistou hehehe. Brincadeiras à parte, falando de filme gay, já assistiu “God’s own country”? É de 2017 mas eu só descobri mês passado. Um dos melhores que já vi.

      Excluir
    4. Welcome to Chechnya, documentário sobre a perseguição aos gays na Chechênia. E também Dias, Stardust, Minha Irmã...

      Excluir