terça-feira, 17 de novembro de 2020

A FAMÍLIA PERDE-VOTO

Carla Zambelli nem é a pior minion da Câmara (essa honraria cabe a Bia Kicis). A deputada por São Paulo apoia pautas que seus pares rejeitam, como a liberação da maconha medicinal. Acho até bom que ela apoie o desgoverno Biroliro porque, burra como uma porta, volta e meia a Carlinha entrega, na maior inocência, os malfeitos que se tramam nos bastidores. Nem por isto deixei de me regozijar quando soube que ela não conseguiu eleger o irmão, a cunhada e o pai. Parece que o brasileiro está se tocando e que os sobrenomes que se tornaram marcas registradas não fazem mais o sucesso de antes. Adivinha, por culpa de quem?

9 comentários:

  1. conheci a Carla em 2016 no periodo do impeachment, trabalhei de graça pra ela
    Naquele momento era apenas uma cidadã que organizava umas pessoas pra fazer atos legitimos contra corrupção, sem interesses políticos, naquele momento eu sabia que era tudo do bolso dela, achei isso admirável

    Ai ocorreu uma coisa, o Nando Moura foi alvo de um post do Nas Ruas, eu comentei na pagina que ele era desonesto e sem carater, a Carla então fez um post pedindo desculpas ao Nando Moura e me "demitiu" de fazer os flyers pra pagina do Facebook do Nas Ruas que eu não cobrava, inclusive pedi pra ela deletar isso e também uma notícia de um suposto colaborador da Globo ter atropelado pedestres no Rio onde eu disse que a notícia era falsa e mesmo assim ela publicou
    o Nando antes de me bloquear no Facebook escreveu que eu era assim por eu ter sido estuprado pelo meu pai, ainda tenho os prints

    A Carla se fez de cega e me bloqueou de todas as redes, não atendia meus telefonemas nem respondia mensagens
    não me arrependo de ter ajudado, pois eu tava mais ajudando uma causa mas não uma pessoa, mas convivi com a Carla o suficiente pra saber como ela é

    Conheci ela quando fui numa palestra em Goiânia onde estava Joice Hasselmann e Bia Kicis
    obviamente a palestra da Joice era só aquelas merdas que ela fala nos vídeos

    Ai se arrependimento matasse...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse comentário deveria ter vindo acompanhado do gif do Ciro Gomes

      Excluir
    2. Ufa!!!!
      Vivi pra vê a DEFU dedurando Ashkenazim. Mais essa a loka ainda é traíra.
      G-

      Excluir
    3. A Carla foi administradora em um escritório de advocacia que trabalhei em Savador/Ba, usava o sobrenome Salgado...

      P.S. Sempre achei que esse Defu era justamente o tal do Pavinatto, para quem o Tony fez post pedindo voto.

      Excluir
  2. ah sim, e continuando o que eu escrevi, tem uma bizarrice que eu noto nos bolsonaristas

    Todos eles querem ter descendencia judaica, a Carla vem de familia catolica da Itália, conversamos muito sobre isso, não há nada de sangue judeu nela

    Depois dá uma lida nesse texto do judeu de Taubaté que cerca os Bolsonaros
    a Joice é outra que inventou uma descendência judaica que não existe, até "falsificou" o sobrenome Hasselmann

    https://www.revistaamalgama.com.br/12/2019/o-homem-que-sabia-javanes/

    ResponderExcluir
  3. Mestre vamos ter post sobre a entrevista do Obama ao Bial.

    ResponderExcluir
  4. NMJ, mas eu comia de boa esses dois maduros da foto. E as pessoas querem ser judias agora apenas pq Israel é um país desenvolvido, com um bom padrão de vida. Aqui no Nordeste tem vários que forçam a barra e se identificam como marranos. A maioria com um "alegado ancestral judeu" há 300, 400 e até 500 anos. É o oportunismo de sempre. Ser palestino ninguém quer. Quando os evangélicos estadunidenses chegaram aqui no final do século XIX e início do XX, teve muitos convertidos. Queria ver se fosse um evangélico baiano pregando em Pernambuco, ou qualquer outro estado, e vice versa. Iam sair corridos na bala.

    ResponderExcluir