segunda-feira, 19 de outubro de 2020

QUE MISTÉRIO TEM CARICE?

Carice na Houten não é, nem de longe, um nome conhecido no Brasil. Mas muita gente já viu o trabalho dessa holandesa: ela foi a Melisandre de "Game of Thrones". A sacerdotisa do deus vermelho era uma mulher fria e controlada, sem grandes arroubos, e não deu a Carice a chance de mostrar seu enorme talento. Mas a atriz dá um show em "Instinto", o filme que representou a Holanda no último Oscar e agora está em pré-estreia em alguns dos cinemas reabertos. Sua personagem é mal construída: uma psicóloga experiente que, mesmo assim, se deixa manipular pelo estuprador de quem ela está cuidando em uma prisão (Marwan Kenzari, o Jafar de "Aladim"). A única explicação possível é o tesão em estado bruto, o instinto do título (e o filme só não levou pedrada porque foi escrito e dirigido por mulheres). Mas Carice perde as estribeiras pouco a pouco, uma por uma, até se desesperar pelo buraco em que caiu sozinha. Depois de um começo meio devagar, "Instinto" fica eletrizante. Não o bastante para ser um grande filme, mas sua grande atriz vale o preço do ingresso (que ainda é promocional).

4 comentários:

  1. Pois eu a vi primeiro em A Espiã, do Paulo Verhoeven. Ela tá fantástica nesse filme!

    ResponderExcluir
  2. O Mio Babbino Caro
    Ainda não li o post.
    A partir do título fui ouvir a canção esquecida e qual surpresa, na voz de Clara Nunes os magníficos versos de Capinan perfeitamente casados na melodia de Caetano Veloso me levaram quase às lágrimas nessa tarde chuvosa de tempos de pandemia. "Que mistério tem o Tony" que tantas vezes me remeteu a experiências emocionais tão íntimas.
    Obrigado cara, apesar de nossa imensa distância e diferenças temos essa proximidade...existencial a esses momentos. Será que outras gerações viverão oportunidades dessa dimensão.

    ResponderExcluir
  3. 18;33 Se é ou se não é, isso pouco importa o que conta é sempre o prenúncio de um tempo de delicadeza que se enuncia.

    ResponderExcluir