quarta-feira, 14 de outubro de 2020

#METOOSA

Outro dia, outra treta envolvendo a história e o politicamente correto. A de hoje envolve a estátua "Medusa com a Cabeça de Perseu", do argentino Luciano Garbati, que ficará por alguns meses em frente ao tribunal de Nova York onde Harvey Weinstein foi julgado. A obra foi saudada como a cristalização do espírito da campanha #MeToo e, logo em seguida, criticada por ser da autoria de um homem. Acontece que Garbati a esculpiu em 2008, e sua intenção era apenas inverter a narrativa da famosa escultura renascentista de Benvenuto Cellini. Mas qualquer obra ganha novos significados através dos tempos, e também quando é inserida num novo contexto - foi o que aconteceu com aquela da menininha, também em Nova York, que no original jamais estaria peitando um touro. Na "Medusa", há um detalhe delicioso: a cabeça que a górgona segura é a do próprio Garbati. Disso as feministas não reclamam.

2 comentários:

  1. Tony, a Fearless Girl foi encomendada por uma agência de publicidade como uma campanha com a expressa intenção de “enfrentar” o touro, não?

    ResponderExcluir
  2. Independente de qualquer coisa a escultura é linda!

    ResponderExcluir