segunda-feira, 19 de outubro de 2020

MAS E A DEMOCRACIA

Há várias lições a aprender com as eleições da Bolívia. A primeira delas é que não há nenhuma onda de direita varrendo a América do Sul. Sim, partidos de direita chegaram à presidência na Argentina, no Chile, no Brasil e no Uruguai, mas em anos diferentes e com consequências mais diferentes ainda. O caso brasileiro parece ter sido um ponto de inflexão. Elegemos um energúmeno tão despreparado que assustamos a vizinhança e perdemos qualquer influência que poderíamos ter. A extrema-direita, para variar, mostrou-se incompetente no poder também na Bolívia. Não pacificou o país nem à força, administrou mal a pandemia e perdeu tanta popularidade que a presidente interina Jeanine Áñez precisou tirar o time de campo. Luís Fernando Camacho, o candidato mais reaça de todos, teve desempenho pífio, e o máximo que os moderados conseguiram propor foi Carlos Mesa, que foi presidente antes de Evo Morales. O resultado está aí: o Movimento ao Socialismo (MAS), o partido de Evo, venceu no primeiro turno. E então chegamos à segunda lição. A estratégia dos caras foi brilhante. Ao invés de insistir num líder indígena mais radical, o MAS deu a cabeça de chapa ao tecnocrata Luis Arce, que foi ministro da Economia, tem educação primorosa e carisma zero. Não ofusca o próprio Evo, que sem dúvida quer voltar daqui a alguns anos. Mas conseguirá? O ex-mandatário divide mais seus conterrâneos do que Lula aos brasileiros, e deu sobejas mostras de que pretendia se eternizar na presidência. Se Arce não for uma Dilma (i.e., inepto), o MAS terá um novo líder, como aconteceu no Equador. A terceira lição é a de que a democracia foi mais forte do que os militares e os golpistas. Biroliro deve estar se borrando neste momento.

10 comentários:

  1. E os EUA e Musk chorando também rs

    ResponderExcluir
  2. Biroliro se borrando e o líder dele no Senado com cueca suja e cheia de dinheiro. Perfeito

    ResponderExcluir
  3. A esquerda brasileira precisa aprender com isso, principalmente no "Ao invés de insistir num líder indígena mais radical...". Cara, o vereador que eu tava falando pros meus amigos de SP votarem, que é gay, começou agora a vestir pra fazer campanha. Ele não usava saia antes. De onde que ele achou que isso seria uma boa estratégia? Isso só afasta o povo não LGBTQ que votaria nele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se ficou claro. Ele começou a usar saia pra fazer campa. O choque pelo choque.

      Excluir
    2. Cara Bicha Branca...pare e pense

      Excluir
  4. E Lula continuará sendo o melhor presidente do Brasil por muito tempo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, principalmente em Santo André!

      Excluir
    2. 23:07 Falta memória e vergonha na cara de vocês. Porque vocês acham que armou-se todo aquele circo em Curitiba...não respondam, vocês não são tão inocentes assim.

      Excluir
    3. Anônimo 20 de outubro de 2020 00:52 - Tá sequelado?

      Excluir
    4. Anônimo 20 de Outubro de 2020 12:31 - Se nem o desfecho Bolsonaro deu jeito em sua cabeça não vai ser eu que terei essa pretensão.
      Dê lembranças à DEFU

      Excluir