domingo, 13 de setembro de 2020

HISTERIA PRECOCE


Um dos trending topics do Twitter neste domingo é #pedoflix. Na semana já havia rolado #CancelNetflix. Não duvido que venham outros por aí: um blogueiro americano de extrema-direita já está acusando o filme "Lindinhas" de, além de promover a pedofilia, também fazer propaganda subliminar do comunismo, porque um cartaz com a foice e o martelo aparece ao fundo de uma cena externa. Aliás, o filme nem se chama mais "Lindinhas" no Brasil. Quem for procurá-lo na Netflix agora vai encontrá-lo com o título em francês, "Mignonnes". A plataforma está tentando minimizar o desastre de marketing que ela mesma criou, ao trocar o poster original por uma versão muito mais provocativa. Confira os dois abaixo:


Eu vi "Lindinhas" ontem à noite. É um drama sobre a passagem da infância para a adolescência, e também um ótimo filme. Quem estiver de muita má vontade vai se escandalizar com as poucas cenas em que as meninas dançam de shortinho e fazem poses provocantes (há milhões de vídeos caseiros no YouTube e no Tik Tok muitíssimo piores). Só que a diretora Maïmouna Doucouré não explora o corpo das garotas em momento algum. O que ela quer, claro, é denunciar uma sociedade em que uma criança aprende cedo que a sensualidade pode ser uma moeda de troca. A protagonista Amy não hesita em tirar a blusa quando seu primo mais velho a flagra com o celular dele (ela também é cleptomaníaca, um jeito clássico de gente carente chamar a atenção). Tudo o que ela quer é escapar do destino da mãe, estressada com três filhos pequenos e obrigada a engolir a segunda esposa do marido, importada do Senegal. Doucouré não tem só um lugar de fala, tem todo um mapa: é mulher, negra, filha de imigrantes, de família muçulmana. Ela conhece o universo onde se passa seu primeiro longa, e trata seus personagens com empatia. O elenco é fenomenal. Todas as lindinhas têm atitude de sobra, e não vou me espantar se uma delas se tornar uma grande estrela no futuro. Mas a extrema-direita histérica não quer saber de nada disso. Não viram e não gostaram. O que interessa é que agora eles têm um pretexto para berrar que a pedofilia está dominando o mundo. Gozado que, quando o Bozo faz piadas impróprias para uma youtuber de 11 anos, o gado abaixa a cabeça.

5 comentários:

  1. Saudades da época que não tinha essa nova direita, não tinha Olsonaro, não tinha Trimpf, não tinha essa estupidez extrema. Cansaço desse momento. Povo cafona e estúpido do caralho. Que sumam pelo amor de deus e de nossa sanidade

    ResponderExcluir
  2. ...É a marca da loucura!!!
    G-

    ResponderExcluir
  3. Poxa. Se não fosse pelo Tony nem teria fucado sabendo desse bafo.

    ResponderExcluir
  4. Desculpa mais que anda em começar alimentar é sensibilidade foi a Netflix esse poster super desnecessário

    ResponderExcluir
  5. O Mio Babbino Caro
    Mas o que eram aquelas crianças vestidas de Carla Perez já na década de 90.

    ResponderExcluir