sexta-feira, 18 de setembro de 2020

A GOVERNANTA DA LAVA-JATO

Regina Casé interpretando uma empregada doméstica, pela terceira ou quarta vez consecutiva? Mas ela não sabe fazer outra coisa? Confesso que não fiquei muito animado para ver "Três Verões", na certeza de que iria reencontrar a Lourdes de "Amor de Mãe" ou a Val de "Que Horas Ela Volta?". Só que a Madá do filme de Sandra Kogut é outra coisa. Claro que se trata de uma mulher extrovertida - timidez não orna com a Casé - mas também descolada, tech-savy e sem sotaque nordestino. Madá se define como caseira, mas na verdade é uma super governanta: administra com firmeza e simpatia a mansão de uns ricaços no chiquérrimo condomínio do Frade, em Angra dos Reis. Também não dá um passo sem tirar uma selfie e postar no Facebook. Um belo dia, o patrão vai preso, numa operação que lembra a Lava-Jato. E a coitada também se embanana, pois ele colocou no nome dela vários celulares usados em falcatruas. Madá sonha em abrir um quiosque de açaí, como a empregada de um outro corrupto que tem casa em Angra, mas o longa foi rodado antes dos detalhes da familícia virem à tona. São ótimas as cenas em que a protagonista tenta manter tudo funcionando - inclusive o pai do presidiário, que sobrou aos seus cuidados - mesmo sem receber salário há meses. Não há um arco dramático, mas também não há barriga. Um filme prontinho para o verão.

9 comentários:

  1. Qual problema da regina fazer empregadas consecutivas? Pobre tem q ser tudo igual? Preguiça,como ela mesmo afirma tem várias atrizes super respeitadas/admiradas ,inclusive por nós que fazem vários papéis seguidos de rica/grã fina...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. E ela está certíssima neste argumento.

      Excluir
    2. O problema é que a Val e a Lourdes são muito parecidas. Só muda a situação que elas vivem.

      Regina Casé não é uma atriz que desapareça dentro de seus personagens. Não há nada de errado com isto, até porque ela é magnética. Já viu Regina no palco? A gente fica hipnotizado.

      Excluir
  2. A personagem da RC parece mais com a Dona Hermínia do Paulo Gustavo do que com as empregadas recentes que ela interpretou. Já ganhou minha simpatia aí.

    ResponderExcluir
  3. Tony Querido, obrigado por mais uma dica de filme. Salvo sempre suas críticas/resenhas aqui na pasta de filmes do PC. Tony Querido, adoro a Regina Casé! Tem uma personagem dela que foi marcante nos anos 80: a Tina Pepper! https://www.youtube.com/watch?v=U5L1XzHojvg
    Abraços, Tony!

    ResponderExcluir
  4. Tony e quem mais queira palpitar, assino Netflix e Globoplay, mas sinto muita falta de filmes mais antigos. Anda e vira leio sobre algum clássico do cinema (nem precisa ser tão antigo), e os dois serviços são fraquíssimos nesse quesito. Ontem mesmo li alguma coisa sobre uma fala de Midnight Cowboy ter inspirado uma canção de Behaviour, álbum berlinense dos Pet Shop Boys de 1990, e me dei conta que nunca tinha assistido o filme. Long story short: qual das várias outras opções de serviço de streaming é a melhor pra encontrar tal tipo de longa? Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já ouviu falar de Looke? Foi a que me sugeriram, pois padeço do mesmo mal. Sinto falta de um cinemão italiano, do mundo delicado da Audrey Hepburn... Mas nem fui em frente, pq no final seria mais uma conta que assinaria, e não consumiria.

      Excluir
    2. Assine o Mubi ou o Belas Artes. Lá tem muita coisa boa.

      Excluir