terça-feira, 4 de agosto de 2020

FROM THE LEBANON! THE LEBANON!

Referência é tudo, né, gente? Pensei em marcar esse dia em que o porto de Beirute foi pelos ares com uma música da diva Fairouz, mas eu não tenho muita intimidade com ela. A verdade é que, quando eu ouço notícias vindas do Líbano, o que toca na minha cabeça é "The Lebanon", do Human League. Então vou ser fiel a mim mesmo e homenagear as vítimas dessa catástrofe do jeito que eu sei.

17 comentários:

  1. Fui pro Human League no Via Funchal em 2011. Lembro que ainda mandei SMS (!!) perguntando mas você não se animou a ir - aliás, você e todo mundo, a casa estava constrangedoramente vazia. De toda forma o show foi gostosinho - as if we were still lovers.

    PS: voltou o bug da mídia aqui no blog.

    ResponderExcluir
  2. Já viu a série The Boys?

    ResponderExcluir
  3. Não está aparecendo os vídeos que vc posta

    ResponderExcluir
  4. Off topic sobre sua coluna no F5. Meu Deus. 2020 vai de mal a pior. Globo sem novela (inédita) e SBT sem Chaves. Se a Record ficar sem os bispos é realmente o fim! Ou seria o começo?

    ResponderExcluir
  5. Minha maior referência do Líbano é a banda indie Meshrou Leila,com o vocalista bee assumido em pleno Oriente Médio,descobri essa banda graças ao Mahmoud Baydoun,mas pelo que eu vi o Mahmoud contando em uma entrevista no Põe na Roda,a situação dos LGBTs no Líbano não é muito diferente da do Brasil,gays sofrem homofobia sim,mas não há pena de morte nem prisão como em outros países do Oriente Médio,até pq o Líbano foi colonizado pela França, é bem ocidentalizado,a maioria das libanesas não usa hijab e há uma grande comunidade cristã e uma pequena comunidade judaica tbm,inclusive durante parte do século XIX o Libano tinha mais cristãos que muçulmanos e eles conviviam bem durante grande parte da história

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoraria conhecer o Líbano, me parece ser um país lindo e com uma cultura rica e única. quanto a vida gay, já peguei um libanês uma vez em um verão em Floripa, ele me contou um pouco da vida gay lá...Tem até uma boate, não oficialmente gay, mas apenas frequentada pelo povo do vale, as coisas acontecem mas tudo muito discreto...Acho o árabe super sexy...

      Excluir
  6. Espero que o Líbano consiga se recuperar logo,apesar que será difícil,já que é o porto que movimenta a economia deles,eles só possuem fronteira com a Síria e com Israel, país inimigo e curiosamente o país mais amigável com os LGBTs no Oriente Médio,que possui a maior Marcha do Orgulho LGBT na região e a esquerda nunca reconhece isso,vive chamando Israel de fascista,genocida,obviamente condeno o que o estado de Israel faz com os palestinos de Gaza,mas quando o Jean Wyllys elogiou e visitou Israel e citou o tratamento mais humano que Israel dá aos LGBTs se comparado a outros países da região,os próprios psolistas xingaram ele de vendido ao sionismo

    ResponderExcluir
  7. AND WHO WILL HAVE WON WHEN THE SOLDIERS HAVE GONE FROM THE LEBANON! THE LEBANON!

    ResponderExcluir
  8. Achei que ia ser o único a comentar aqui "só eu e você devemos conhecer essa música" (eu adoro, o baixo foi sampleado em Head Straight to Alex Metric).
    Minha única outra lembrança do Líbano foi um episódio de Primo Cruzado (eu sei do nome) onde as vizinhas disseram que aprenderam a construir uma bomba pq passaram uma temporada no Líbano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O tempo passa, o tempo voa mas a HansaBee continua achando que só ela conhece as referências pop, mesmo um hit single!

      Excluir
    2. Se você quis chamar o THL de one hit wonder (e não “one hit single”), sem dúvida nenhuma que não seria por The Lebanon. E mesmo assaim o THL não é ohw.

      Excluir
    3. E quem disse que THL é ohw? Quem? Não viaja! Eu só disse, só e somente, que The Lebanon é um hit single! Hit single, música que tocou nas rádios e emplacou nas paradas, uma canção relativamente bem conhecida! E mesmo sendo um hit single, lá veio você achando que ia abafar, que só vc conhecia, tratando The Lebanon como um lado b de um vinil de edição limitada japonesa, como quem conhece o blog das antigas sabe que vc já fez várias e várias vezes...

      Excluir
    4. Seu comentário dá margem às duas interpretações. Verzeihung pelo mal-entendido.
      Mas se é pra falar to The Human League, a verdade é que eles também não tiveram uma carreira com muitos outros hits. Eu tenho o Dare aqui em casa e adoro botar pra tocar de manhã enquanto preparo a lava-louça. Alterno com o Rio do Duran Duran que é obrigatório em vinil.
      Inclusive a sequência de hits deles acabou com "The Lebanon" (que tem uns versos péssimos, apesar da boa intenção da canção; idem pra People are People do Depeche Mode do mesmo ano). Together in Electric Dreams oficialmente foi colaboração entre Giorgio Moroder e o Philip Oakey (e que o Philipp diz que o Giorgio refez praticamente tudo sozinho), mas a banda adotou em suas coletâneas. Daí é ladeira abaixo. Human é hit...de Antena 1 e seu pai deve ter em algum dos 7 CDs no carro dele. Nem em coletânea de anos 80 Heart Like a Wheel é lembrada. eu nem sei o nome do álbum que eles lançaram em 1995. 2001 teve o Secrets que a gravadora só se deu ao trabalho de promover All I ever Wanted e a partir daí só coletâneas e álbuns e singles bancados pelos fãs.
      Quer ouvir algo REALMENTE bom do Human League? Cate o single com 8 remixes de "The things that dreams are made of" e já abre com "The Things That Dreams Are Made Of (Richard Stone Club Mix)". Se eles não lançam coisa boa que preste hoje em dia, pelo menos não falta DJ pra dar uma recauchutada.

      Excluir
    5. ZZZZZZZZZZZZ...

      Excluir
  9. OS PRÓXIMOS BBB E A FAZENDA DEVERIAM ACONTECER
    EM BEIRUTE.kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  10. Meu melhor gerente de restaurante foi Libanês.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até a Mono no desfile de egos,vams ver como se comportará em Marte?

      Excluir