quarta-feira, 19 de agosto de 2020

FAMÍLIA UBERIZADA

Virei uberizado. Há três anos que eu não tenho mais carteira assinada. Trabalho emitindo notas fiscais, e é claro que a minha renda varia de um mês para o outro. Mas sou dono do meu nariz! Faço meu próprio horário! Sou empreendedor de mim mesmo! Essa cascata também é usada para convencer o protagonista de "Você Não Estava Aqui" a trabalhar como motorista de uma empresa de entregas sem ter o menor vínculo empregatício. O diretor britânico Ken Loach pega na veia dessa moderna praga do Egito, a gig economy, e entrega um filme melhor do que o baixo-astral "Eu, Daniel Blake", vencedor do festival de Cannes de 2017. Não que a trama seja alegre. A precarização do trabalho faz com que um casal de classe média baixa tenha um único dia de folga por semana, roubando o tempo que eles deveriam passar com os filhos adolescentes. Resultado: o mais velho decide abandonar a escola e virar grafiteiro, e acaba se metendo em confusão. Perdi o longa quando esteve em cartaz logo antes da pandemia, mas agora ele chegou ao Telecine. Recomendo a quem quiser ver grandes atores e um roteiro seco, nada piegas, mas que emociona e faz pensar. Só não espere se desligar dos seus problemas.

4 comentários:

  1. Essa semana tô procurando escapismo. E do jeito que as coisas andam, temo pelo meu futuro cultural. Por favor Tony, prometa mandar me sacrificar se eu começar a defender filmes do Leandro Hassun.

    ResponderExcluir
  2. Vai ter espaço pra falar do papelão do Tas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falei do Tas na minha coluna de ontem no F5.

      Excluir
    2. Assisti o programa e achei ótima a coluna, a propósito. E hoje o UOL soltou um “Existe, sim, humor em Cuba; conheça alguns destaques”
      https://entretenimento.uol.com.br/noticias/redacao/2020/08/19/nao-tem-humorista-em-cuba-nao-e-bem-assim.htm

      Excluir