quarta-feira, 5 de agosto de 2020

AI QUE ÓDIO

Acho que estamos presenciando o surgimento de um novo grande cineasta. Em menos de um mês, o polonês Jan Komasa teve seus dois filmes mais recentes lançados no Brasil. "Corpus Christi" chegou ao sob demanda depois de uma indicação ao Oscar, e me deixou bastante impressionado. Quase tão bom quanto é "Rede de Ódio", disponível na Netflix. O assunto não podia ser mais da hora: o protagonista é um profissional das fake news, especializado em destruir reputações. O rapaz, feito pelo feioso Maciej Malekowski, tem a combinação exata de ressentimento e mau-caratismo para levá-lo às maiores maldades, sem um pingo de remorso. Contratado por uma agência de marketing que, na verdade, é uma troll farm, primeiro ele ataca uma blogueirinha fitness. Impressionada, sua chefe inescrupulosa lhe passa uma missão maior: colar num candidato liberal à prefeitura de Varsóvia a pecha de ser pró-imigração islâmica. Nosso herói chega a incitar um incel, e as consequências são desastrosas. Algumas passagens parecem exageradas, mas o filme reflete o que se passa na Polônia e em outros lugares. Tanto que teve seu lançamento adiado por causa de um atentado. Em janeiro do ano passado, durante um comício transmitido ao vivo pela internet, o prefeito de Gdansk foi morto a facadas por extremistas de direita.

3 comentários:

  1. No começo achei ele feio, mas depois que ele apareceu semi nu confesso que fiquei com vontade de ver a rola do feio com talento kkkkk

    ResponderExcluir
  2. Polônia lar CD Projekt que criou um dos melhores jogos já feitos The Witcher 3 e agora Cyberpunk 2077.

    ResponderExcluir
  3. Não sabia dessa do prefeito de Gdańsk mas vários líderes poloneses já foram assassinados na história recente, Polônia é o lar dos Neighbors aquele livro que conta como familias de judeus foram queimadas vivas pelos próprios vizinhos durante anos achavam que eram os nazistas aí descobriram que foram os vizinhos. Não à toa os campos de concentração eram na Polônia.

    ResponderExcluir