sábado, 6 de junho de 2020

O SENHOR TRAVESTI

Perdi o documentário "Rogéria: Senhor Astolfo Barroso Pinto" quando ele passou nos cinemas, no final de 2018. Ontem preenchi essa lacuna graças ao Canal Brasil, que incluiu o longa em sua programação especial do Mês do Orgulho LGBTQI+. A verdadeira Rogéria talvez risse dessa sigla sempre em crescimento. Ela se definia de uma maneira simples: era um travesti, da época em que a palavra ainda não era feminina. Rogéria, inclusive, vivia falando de seu nome de batismo, Astolfo, e o filme de Pedro Gui explora essa dualidade a fundo. Mas o que engrandece essa pioneira do transformismo no Brasil, além da coragem de se expor desde quando isso dava cadeia, era o imenso talento cênico. Uma atriz fabulosa e uma showwoman completa. Eu a vi no palco algumas vezes, e ainda tive a sorte de trabalharmos juntos em um episódio de "Ô, Coitado", em 2000. Pena que se foi tão cedo: "Senhor Astolfo Barroso Pinto" ainda estava sendo rodado quando ela morreu, em 2017, e alguns convidados gravaram seus depoimentos depois disso. O tom de adeus é incontornável, mas as homenagens são todas merecidas. E ainda descobri algo de que nunca desconfiei: vendo as declarações dos irmãos de Rogéria, percebi que essa estrela loura era... negra.

9 comentários:

  1. Assisti. Lindo trabalho, merecidíssima homenagem.Tb tive o privilégio de vê-la em cena algumas vezes. Inclusive no derradeiro espetáculo em Sampa, no Teatro Bibi Ferreira lotado, na Semana do Orgulho Gay.

    ResponderExcluir
  2. O Mio Babbino Caro
    Morreu sem sofrer o desmonte que vem sendo aplicado aos direitos "T".

    Quanto ao fato de ser negra foi só mais um fator de esperteza se travestir de loira tbm para sobreviver nessa fazenda.
    Logo mais virão outras afinal nossa Marilyn Monroe é o que..."Dê-lhes grandeza e um pouco de coragem"(Cazuza).

    ResponderExcluir
  3. Ela vivia falando que aquele cabelo era dela. E o cabelo dela era liso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dá para alisar e pintar o próprio cabelo, sabia?

      Excluir
    2. Sabia. Mas o cabelo dela não parecia alisado. E ela podia estar mesmo mentindo. MY BAD!!! Mas que pegava no cabelo do pé da testa pegava e puxava ainda. Truqueira?

      Excluir
    3. Agora pensando bem não dá não! Ela não pintava. Ela descoloria então... E quem alisa não pode descolorir. O cabelo não aguenta. Ainda mais fino como é o dos negros.

      Deveria estar MENTINDO DESCARADAMENTE a bandida! ;)

      Eu a achava muito heteronormativa na REALIDADE.

      Excluir
    4. O mono eu pensava em pedir uma carona na sua nave mas se junto com você vai essas preocupações de cabelo do pé da testa e outros Q-tais. Você que vá pra puta que o pariu com seus marcianos. Melhore Cambaio!!!

      Excluir
    5. Ela fez implante pra calvíce e tudo! Veja no trailer, por volta de 1min29s, a linha da testa. Implante, and not a good one.

      Excluir
  4. Pelas fotos antigas dava para ver que Rogéria era um rapaz pardo. O cabelo tinha muito creme de babosa.

    ResponderExcluir