terça-feira, 23 de junho de 2020

O 2o. ANO DO RESTO DA MINHA VIDA

A morte de Joel Schumacher me deu a deixa para falar de novo sobre um filme dele que me afetou profundamente. Eu já tinha feito um post sobre "O Primeiro Ano do Resto de Nossas Vidas" há mais de 10 anos, quando anunciaram que ele viraria série de TV. A série nunca foi feita, e é claro que hoje seria muito diferente do longa. Não há mais clima para um programa com sete protagonistas brancos, de classe média alta e heterossexuais. Mas o argumento ainda vale: o começo da vida adulta, com todas as suas alegrias e desgraças. O primeiro ano do título brasileiro é o de recém-formado, quando a faculdade ficou para trás. Assisti ao filme em 1985, mais ou menos o segundo ano do resto da minha vida (terminei minha segunda faculdade em meados de 1983). Preciso rever logo: será que aqueles draminhas juvenis ainda ressoam para mim, no limiar da terceira idade?

19 comentários:

  1. Tony, por coincidência vi esse filme domingo à noite, tenho 43, meu marido com 33 nunca tinha visto. O comentário dele foi “por isso que estamos nessa situação, olha o que se mostrava como legal nessa época”. Realmente minha impressão foi que envelheceu mais e em 2020, tem mais problemas do que só ser sobre 7hts, brancos. Stalking, violência contra mulher, estupro e uma arrogância que incomoda nos dias de hoje. Se até friends, feito mais de uma década depois e muito mais politicamente correto datou... st elmos fire hj é difícil de ver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. assisti Saturday Night Fever esses dias e fiquei passado. é retratado um estupro coletivo como algo cotidiano. filme nojento e asqueroso.

      Excluir
  2. Tony se você já nasceu em 1961 como declarou,não lembro em qual rede social,mas sei que isso está registrado,em 1983 tinha 22 anos,com 22 anos já tinha duas graduações completas?Eu com 22 anos terminei o curso em direito,comecei aos 18,o curso dura 5 anos.Sobre o Joel Schumacher o meu filme favorito dele é Falling Down,nesses tempos de Bozo embora eu seja absolutamente contra a violência as vezes confesso que dá vontade de baixar o William Foster contra ele e seus minions kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nasci em outubro de 1960. Comecei a cursar duas faculdades ao mesmo tempo em 1979: ESPM de manhã e FGV de tarde. Me formei na FGV no final de 1982. Na ESPM, no final do primeiro semestre de 1983 - eu tinha trancado um semestre para fazer estágio em agência de propaganda. Então, sim, aos 22 anos eu já tinha dois cursos superiores completos. Mas não fiz pós-graduação, e hoje me arrependo. Talvez ainda faça?

      Excluir
    2. Tony, nas suas graduações vc tinha muitos colegas mulheres e negros?

      Excluir
    3. Tive um único colega negro no colégio: um garoto filho de uma empregada doméstica, adotado por um casal branco. Era o único aluno em todo o Colégio Santo Américo nos anos 70.

      Na faculdade, tive também uma única colega negra. Uma moça brilhante que, no entanto, não fez uma carreira ao seu talento. Acho que o racismo estrutural lhe fechou muitas portas.

      Excluir
    4. Esperto rs. Aproveitei o post justamente para entender a entrevista de ontem do Roda Viva, sob a perspectiva de um garoto da elite brasileira (termo utilizado aqui sem soar pejorativo) no que podemos chamar de recentes anos 80.
      Olha o atraso do avanço social do negro no Brasil.
      Mas bateu a curiosidade agora também, vc teria noção do que aconteceu com seu colega de escola?

      Excluir
    5. Virou bolsominion, que tal?

      Somos amigos no Facebook e já batemos boca lá. Não me conformo! Mas, se tem gay que apoia o Bozo, claro que também ia ter preto.

      Excluir
    6. Pior é ter gay e preto como o deputado Douglas Garcia,além de publicidade qual outro curso vc fez Tony?E curioso um deles ter sido de tarde,hoje em dia que eu saiba não há mais cursos vespertinos,se há são bem raros,a maior parte são matutinos e noturnos e sobre a pós,nunca te fecharam portas não ter feito pós né,vc teve uma carreira bem sucedida na publicidade e depois na dramaturgia tbm,então se vc fizer pós será mais pelo conhecimento teórico do que por uma necessidade de mercado

      Excluir
    7. Fiz Administração de Empresas na FGV. Naquela época havia alguns cursos à tarde.

      Excluir
    8. Tony, mestrado e doutorado, aqui, viraram uma espécie de compensação pela decadência dos cursos de graduação. Serão sempre válidos quando a gente quer direcionar a própria formação, mas muita gente (principalmente os nascidos nos anos 90) fazem stricto senso por carreirismo e nem passa pela cabeça deles que um bacharelado em uma particular de renome ou em uma federal nos anos 70 e até meados dos anos 2000 era realmente uma alma mater. Hoje, a gente pega uns alunos de mestrado que não têm nem domínio de português prescritivo.

      Excluir
    9. Tanto curso de pós e mestrado por aí de "pagou passou"... É só pagar um!

      Excluir
  3. DC Cab (que o SBT reprisou tanto até eu virar gay), A incrível mulher que encolheu, os Batmamilos, The Lost Boys, Tempo de Matar, 8mm, Por um fio

    ResponderExcluir
  4. Eu infelizmente só consigo lembrar do mamilogate. N.

    ResponderExcluir
  5. Eu estava na faculdade ainda.

    Achei mais ou menos. Muito americanamente narcisista.

    Gostei da performance da Demi Moore. E só acho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mono, quantos anos vc tem? Jurava que não tinha mais que 23!

      Excluir
    2. Caralho, tô ficando velho, não pelo filme (eu era bebê na época do lançamento rs), mas pelo antigo post, leio Tony desde essa época.
      Muito fã desse sacaninha!!!

      Excluir
    3. Eu tenho idade para ter comido sua bisavó!

      Excluir
    4. E não só porque vi na faculdade que vi quando ele foi LANÇADO, BUCHAS BIRRAS!

      Excluir