domingo, 7 de junho de 2020

EN LA MITAD DE LA VIDA


A Argentina é aqui do lado, mas conhecemos pouquíssimo da televisão dos hermanos. A recíproca não é verdadeira: novelas como "Avenida Brasil" fizeram muito sucesso por lá. Agora podemos retribuir prestigiando "Quase Feliz", a melhor série cômica do ano até agora, disponível na Netflix. O protagonista Sebastián é o puro suco do portenho: judeu, neurótico, pelotudo nas horas erradas. Apresenta um programa de rádio chamado "En la Mitad de la Vida" onde desfia as agruras de ser quarentão, mas toda sua problemática pode ser resumida na vontade que tem de voltar para sua ex-mulher. Extraordinariamente bem escrita, dirigida e atuada, "Quase Feliz" às vezes parece uma versão latina de "Seinfeld" temperada com chimichurri. Quem tiver alguma familiaridade com as peculiaridades de Buenos Aires vai captar mais detalhes, mas eu recomendo esta série para todo mundo. Um pouquinho de quase felicidade é o que estamos precisando neste momento.

7 comentários:

  1. Nós somos como os americanos: narcisistas, contentes com nós mesmos.

    E nossa bolha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ao contrario, acho que temos muito complexo de vira -lata.

      Excluir
  2. Tony, ajuda a gente que não viaja nem pro interior vizinho e explica essas peculiaridades de Buenos Aires aí!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É difícil resumir, mas vou tentar. A Argentina tem uma forte nostalgia da Europa. Gostariam de ser europeus, e muitos acham que são mesmo. Também são assumidamente neuróticos: parece que todo mundo em Buenos Aires vai ao psicanalista. A cidade também tem uma presença judaica muito mais visível do que por aqui, além de uma fortíssima influência italiana. São mais politizados do que a gente, e sempre dispostos a brigar por seus direitos (importamos de lá a ideia dos panelaços). Tê um certo esnobismo em relação aos brasileiros, mas adoram as nossas praias e o nosso estilo de vida, que parece mais relax que o deles. De modo geral, são muito simpáticos: essa coisa de que são nossos inimigos foi inventada pelo futebol.

      Excluir
  3. Saudades da Argentina (e dos argentinos!), mas tão cedo não poderemos botar os pés em nenhuma terra estrangeira, graças ao presidente incompetente e sua política genocida. Temos que "viajar" através das séries, tristes tempos...

    ResponderExcluir