quinta-feira, 9 de abril de 2020

OUTRO HOMEM E OUTRA MULHER


Eu estava seco para ver "Os Melhores Anos de Uma Vida". Já tinha baixado a trilha sonora e até feito post a respeito. O mais recente filme de Claude Lelouch, a terceira parte da história de amor começada com "Um Homem e Uma Mulher" tinha estreia no Brasil marcada para o dia 9 de abril. Não tem mais, é claro. mas aí eu já estava infectado pela vontade de ver um filme de Lelouch, pois faz quase dez anos que não chega nada dele por aqui. Vasculhei as plataformas e encontrei na Netflix seu penúltimo longa, lançado na França em 2015. O título não poderia ser mais genérico: "Un + Une", um mais uma (ou seja, um homem e uma mulher). Mas o roteiro é bem diferente do resto da obra do diretor. Para começar, se desenrola quase todo na Índia. E seu ponto alto é uma experiência religiosa: uma visita ao santuário de Mata Amritanandamyai, a Amma, uma santa viva famosa por abraçar seus fiéis. Enquanto isto, um compositor vivido por Jean Dujardin se apaixona pela mulher do embaixador francês, a insossa Elsa Zylberstein. Ele foi convidado a compor a trilha de um filme de Bollywood chamado "Julieta e Romeu", algo pra lá de improvável na vida real. Lelouch não se preocupa em embelezar a paisagem e mostra uns ângulos bem feios da cidade sagrada de Varanasi. Também oscila o tempo todo entre o profundo e o banal. Mas foi ótimo viajar com ele como guia. Minha fissura sossegou, mas só será aliviada com uma dose de Anouk Aimée.

3 comentários:

  1. O Mio Babbino Caro
    Depois dessa Pandemia estou achando que nada mais é improvável.

    ResponderExcluir
  2. Esse ator é um dos homens maus lindos do cinema, para mim esta em um.top 1o, sonho com um nu frontal dele! Nao entendo porque alguns atores franceses mostram um monte a pomba e outros nem.a bunda.

    ResponderExcluir
  3. Que roteirinho ruim,pode ir abracado com aquele filme que vc escreveu tony.

    ResponderExcluir