segunda-feira, 13 de abril de 2020

CANSEI DE SER KOSHER


Até que enfim, uma minissérie boa. Vimos "Nada Ortodoxa" no sábado à noite, de uma só sentada. São apenas quatro episódios, escritos e dirigidos como ma boa trama de suspense. Mas não há nenhum investigador perseguindo um serial killer e sim, na verdade, dois rapazes na pista de uma moça. Os três são judeus ultraortodoxos, de uma comunidade hassídica de Nova York. Ela é casada com um deles, mas quer deixar de ser. Quer deixar de ser oprimida por uma seita que parou no século 19, que não permite que ela estude nem tenha um smartphone. Foge, então, para Berlim, onde mora a mãe que ela pensa que a abandonou. Baseada nas memórias de Deborah Feldman, "Nada Ortodoxa" prende a atenção mesmo com a gente sabendo que vai tudo acabar bem. Também não pinta os hassídicos como vilões caricatos, mas sim como eles de fato são - unidos, porém extraordinariamente despreparados para o mundo moderno. No centro de tudo está a luminosa atriz israelense Shiri Haas. Com olhos que ocupam mais da metade da cara, ela transmite todo o medo e o deslumbramento da protagonista Esty Shapiro em sua busca por uma vida sem tantas amarras. Os habitantes do Vale também vão apreciar a presença do ator alemão Aaron Altaras. Como o namoradinho de Esty em Berlim, ele tem poucas falas. Não precisava mesmo.

9 comentários:

  1. Ah, bem lembrado. Eu lembro de "Mario" (insira piada aqui).
    Essa série tá na minha lista, mas eu fui dar prioridade a "Freud" e me arrependi. Quando você percebe, já viu 5 episódios e decide ver os 3 restantes pra ver se algo se salva nessa Twin Peaks dos Habsburgo. Não vale e você perdeu 8 horas da sua vida. Não tem terapia que conserte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tive a mesma impressão com Freud; comecei super empolgado e não consegui terminar...Nada Ortodoxa é ótima, adoro séries que saiam dos temas serial killer, vampiro, crime não resolvido, etc...Netflix continua com muito mais quantidade que qualidade...

      Excluir
    2. Daniel sumidissimo....vc só estuda menino! Vc casou?? E mesmo a serie Freud tendo um roteiro capenga,que ator bonito/talenso que fez o protagonista, sonhando com a nudez do mesmo.

      Excluir
    3. Sumi nada. Estou vivíssimo engrenando minha carreira de ator. Cata meu nome no Prime Video da Amazon pra ver.

      Excluir
  2. Achei bem bom, e tem um documentário na Netflix sobre a série, making-offs são sempre legais!
    Outro documentario com a mesma temática é "One of us", só que trata de três dissidentes dessa comunidade ortodoxa. A mãe afastada dos filhos é de partir o coração.

    ResponderExcluir
  3. Ainda bem que eu vi antes de ler seu comentário. Já deu spoiler que a mãe não a abandonou e que acaba tudo bem. 😬

    ResponderExcluir
  4. Achei essa atriz a cara da Denise Fraga

    ResponderExcluir
  5. Tony, vou assistir, depois desse post, minha vontade aumentou, minha mae viu e adorou.

    bjoss e saudades

    ResponderExcluir
  6. ASSISTI ONTEM E AMEI, REALMENTE MUITO BOM E TODO MUNDO QUE ASSISTIU, ASSISTI DE UMA VEZ...VALEU A DICA!!!!

    ResponderExcluir